Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Luxemburgo se esquiva de perguntas sobre problemas no Flamengo

Técnico evita comentar qualquer assunto não relacionado ao jogo desta quarta e afirma que empate em Potosí é bom resultado

Vicente Seda, enviado iG a Sucre |

O técnico Vanderlei Luxemburgo deixou os problemas para outra ocasião. Na coletiva concedida nesta terça-feira, após o último treino antes do confronto do Flamengo com o Real Potosí, nesta quarta, pela primeira fase da Libertadores, ele se recusou a falar sobre qualquer assunto que não fosse diretamente ligado à partida.

O treinador foi seco com a imprensa boliviana, que insistia em lhe perguntar a escalação para o primeiro jogo da decisão de vaga na fase de grupos da competição continental. Um dos jornalistas locais perguntou: “Você já sabe qual time colocará em campo?”. Luxemburgo respondeu: “Sei”. “Pode nos dizer?”, retrucou o boliviano. “Não”, ouviu de resposta.

Sem querer dar qualquer tipo de arma ao adversário, o treinador se recusou a comentar até a contratação de Vágner Love, que deverá assinar contrato nesta quarta-feira. “É uma boa contratação, mas preciso focar aqui. Isso a gente comenta depois.”

Ao analisar o contexto da partida, Luxemburgo reconheceu que um empate, diante das circunstâncias, especialmente a altitude em Potosí, será um “grande resultado”. “Temos 180 minutos para definir a classificação. Um empate aqui passa a ser um grande resultado, com gols, melhor ainda. Temos de transferir para o segundo jogo a possibilidade de classificação. Se levarmos vantagem, melhor ainda”.

A indefinição da equipe se resume ao meio de campo. Muralha pode tomar a vaga de Aírton, substituição que Luxemburgo fez, e aprovou, no jogo-treino contra o Universitário de Sucre, na última sexta-feira.

“Se eu falar tudo o que eu vou fazer, vai ser muito fácil para o outro treinador. Houve um avanço muito grande na parte física, técnica, tática. Não houve problema de treinamento, os caras foram dentro. A altitude é um doping natural, mas minimizamos esse problema com a parte psicológica, para que o jogador entenda que terá de haver um sacrifício maior, mas que não mata ninguém. Você tem de se adaptar à altitude e saber que você vai sofrer momentaneamente”, afirmou.

Leia mais: Jogadores do Fla fazem pacto contra crise por classificação

Indagado insistentemente sobre o clima da equipe, dos problemas que rondaram a pré-temporada em Londrina, Luxemburgo pediu que as perguntas parassem, sob pena de se ver obrigado a ser “indelicado”. Mas acabou dando o tom do que ocorreu nos últimos dias, com os próprios jogadores conversando entre si para deixar de lado os problemas.

“Já falei isso para vocês também, não tenho 20 anos, as turbulências passam. Se ficarmos dando ênfase a elas, elas ficam. O tempo se encarrega de levar. Normalmente, pela relação do grupo, isso passa. O que sai hoje é muito distante da nossa realidade interna. Por isso não quero falar, o tempo vai ajustar as coisas. Você toma decisões de maneiras diferentes. E as coisas hoje estão todas ajustadas”.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG