Tamanho do texto

Técnico do Fla acredita na volta do craque à seleção e pede para que observe sua atuação contra o Ceará

Ronaldinho em ação contra o Ceará
Futura Press
Ronaldinho em ação contra o Ceará
Ronaldinho Gaúcho não foi convocado para os amistosos da seleção brasileira e, consequentemente, está fora da Copa América. Mas, para o técnico Vanderlei Luxemburgo, ele ainda pode voltar a ser chamado por Mano Menezes. No Campeonato Brasileiro, que começa neste sábado para o Flamengo , contra o Avaí , em Macaé, o craque precisa mostrar que ainda pode ser útil.

iG Flamengo no Twitter: saiba tudo sobre seu time

“O Ronaldinho precisa fazer algo diferente. Ele tem que pegar o teipe do jogo contra o Ceará e falar eu consigo fazer isso e vai fazer. A tendência é melhorar. O percentual de gordura dele baixou de 10,4 para 9,8 ou 9,9. Na Europa, não tem esse tipo de aferição. O comportamento é diferente e precisa de uma readaptação”, disse Luxemburgo. “Acho que ele pode voltar para a seleção, mas depende dele”.

O técnico do Flamengo conta com o talento de seu craque para o Flamengo fazer uma grande campanha no Campeonato Brasileiro. Segundo ele, é preciso entender o novo posicionamento de Ronaldinho Gaúcho para analisar a sua atuação em campo. O jogador vai disputar pela primeira vez a competição desde 2000, quando o Grêmio chegou à semifinal, sendo eliminado pelo São Caetano.

“O Ronaldinho vai continuar sendo talentoso. Mas ele tem que se ajustar ao modelo, numa nova posição, mais próximo do gol, e ser visto com outras qualidades que não mostrou em um outro momento. Não vai mais ser aquele do Barcelona até porque o tempo passou”, explicou Luxemburgo.

A expectativa, inclusive, é que sua presença em campo seja capaz de ajudar os outros jogadores a crescerem individualmente durante a temporada. Com Ronaldinho, segundo Luxemburgo, a confiança dos companheiros cresce e cada um tem a chance de elevar o nível de categoria em campo.

“O Ronaldinho é o carro-chefe, mas não dá para quantificar um percentual de sua importância. Um time se baseia em dois ou três jogadores. No Santos , tem o Neymar e o Ganso . Aqui, é com ele e o Thiago Neves , mais o Ronaldinho. Eles vão carregar os outros, que passam a jogar com mais qualidade, pois eleva o nível”, comentou Luxemburgo, lembrando que o craque não decide sozinho. “O time ajuda bastante. Se não tiver time, não adianta ter o Ronaldinho. Ele é importante pela grandeza, mas a estrutura precisa ser boa”.