Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Luxa monta base, mas Fla depende de Leonardo Moura e Thiago Neves

Técnico já usou 26 jogadores e busca reforços para preencher carências na lateral esquerda e no ataque

Thales Soares, iG Rio de Janeiro |

nullO Flamengo disputou 25 jogos de competição em sua primeira parte da temporada. O técnico Vanderlei Luxemburgo já usou 26 jogadores, celebrou a conquista do Campeonato Carioca, de forma invicta, e lamentou a queda nas quartas de final da Copa do Brasil para o Ceará. Em busca de reforços para o Campeonato Brasileiro e a Copa Sul-Americana, o time ainda segue em formação como o próprio comandante diz, mas apresenta uma clara dependência de novos e velhos conhecidos da torcida.

Os números são da Footstats e estão disponíveis no aplicativo iG Esporte para iPhone e iPad

Desde 2005 no Flamengo, o lateral-direito Leonardo Moura segue como peça determinante no esquema montado por qualquer treinador. Ele é o jogador do time que mais tempo fica com a bola. São 2min13s por jogo, entre Copa do Brasil e Campeonato Carioca. Autor de apenas um gol na temporada, foi responsável por sete assistências nos 21 jogos que disputou. Com dores no joelho direito, preocupa para a estreia no Brasileiro, sábado, contra o Avaí, em Macaé.

Contratado este ano, um dia depois da apresentação de Ronaldinho Gaúcho, Thiago Neves assumiu o papel de protagonista. Terminou a primeira etapa da temporada como artilheiro do Flamengo, com nove gols, em 22 jogos, além de ter feito sete assistências, liderando a estatística do time ao lado de Leonardo Moura. Ele marcou contra todos os principais rivais, inclusive na semifinal da Taça Rio contra o Fluminense, levando a decisão para as cobranças de pênaltis.

AE
Thiago Neves recebe o prêmio de melhor jogador do Campeonato Carioca

Principal astro da companhia, Ronaldinho disputou 18 jogos e fez cinco gols. Ele deu três assistências. No entanto, não balança a rede desde o dia 10 de março, na vitória por 2 a 1 sobre o Bangu, quando marcou em uma cobrança de pênalti. Durante o jejum de seu craque, que desfalcou o time duas vezes por causa de uma lesão no joelho esquerdo, o Flamengo venceu apenas quatro vezes em 13 jogos. Nos últimos sete, conseguiu uma vitória.

Na primeira etapa, cumprida com certo louvor, segundo Luxemburgo, o Flamengo teve um aproveitamento de 72% dos pontos conquistados. Foram 15 vitórias, nove empates e apenas uma derrota, para o Ceará por 2 a 1, no Engenhão, no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. O goleiro Felipe foi o único a participar de todas as 25 partidas, seguido por Renato, Welinton e Willians, com 23 cada. O time ficou 13 jogos sem sofrer gols, repetindo a dupla de zaga formada por Welinton e David 21 vezes.

No fim, Luxemburgo conseguiu construir uma base, mas com uma clara necessidade de reposição de peças. Com nomes do quilate de Juan, da Roma, e Vagner Love, do CSKA Moscou, na mesa, o clube tenta suprir carências na lateral esquerda e no ataque, onde não encontrou um jogador acima das críticas. Júnior César, do São Paulo, e André, do Bordeaux, aparecem como opções no mercado.

“O time do Flamengo campeão mundial em 1981 levou mais de cinco anos para ser formado. Não acontece de uma hora para outra. Nós já superamos a expectativa. Em quatro meses, conquistamos um título invicto e fomos eliminados da Copa do Brasil em nosso melhor jogo. Acredito numa boa campanha no Campeonato Brasileiro”, afirmou o técnico Vanderlei Luxemburgo, que assumiu o Flamengo em outubro do ano passado, na sua terceira passagem pelo clube como técnico.

Leia tudo sobre: FlamengoBrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG