Ex-presidente disse que o país não deve atender interesse da Fifa sobre a Lei Geral da Copa

selo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira que se trata de uma "questão de soberania" a postura do Brasil sobre a Lei Geral da Copa . "Acho muito difícil que a Fifa resolva ter uma discordância de um projeto de lei aprovado de forma soberana pelo Congresso Nacional", disse. "Nenhum país do mundo vai deixar sua soberania para atender interesse desta ou daquela entidade, seja ela qual for."

A tramitação da Lei Geral da Copa desagrada à Fifa . A entidade reclama que o Brasil não acatou todas as exigências negociadas para a realização do evento. Os principais pontos de discórdia envolvem a venda de meia-entrada para idosos e estudantes e a proibição da comercialização de bebidas alcoólicas nos estádios brasileiros - a associação é patrocinada pela Budweiser.

Essas regras brasileiras reduzem as receitas da Fifa. O governo também quer evitar que a entidade tenha carta branca sobre todos os orçamentos. A presidenta Dilma Rousseff já assinou e enviou o projeto para tramitação no Congresso. Para Lula, "o Brasil conhece futebol e vai fazer a melhor Copa do Mundo que puder ser feita". "O resto a Fifa deixa com o Brasil, que sabe fazer", afirmou.

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.