Lateral-esquerdo tem aproveitamento de 74,6% atuando no meio-campo

Wesley Santos/Pressdigital
Lateral-esquerdo vibrou com a torcida pelo título
Renato Gaúcho já o definiu como “homem de confiança”. Alexandre Mendes, o auxiliar do treinador, de responsável pelo “desafogo”. Seja qual for o adjetivo, Lúcio está se tornando imprescindível para o Grêmio . Quando é escalado, a equipe vai bem. Agora, em caso de ausência...

Foi assim no título do primeiro turno do Gauchão contra o Caxias . No primeiro tempo, a equipe da Serra foi melhor e chegou a abrir vantagem de 2 a 0. O lateral-esquerdo, convertido em meia por Renato, entrou no segundo e transformou a partida. Fez o cruzamento que originou o gol de empate de Rafael Marques aos 50 minutos do segundo tempo.

“Não me considero titular absoluto. Faço o que o técnico pede. Muitos falam que ele me reinventou, mas cada um tem a sua função. Ainda prefiro ser lateral”, analisou o jogador.

Lúcio não começou jogando, afinal, treinou pouco devido à recuperação de uma tendinite no joelho direito. Apesar da humildade, o jogador tem números impressionantes. Desde o ano passado, ele atuou 21 vezes no meio-campo, com 14 vitórias, cinco empates e duas derrotas: aproveitamento de 74,6%.

Com o atleta, o Grêmio fica mais rápido. Lúcio atua pela esquerda, com Fábio Rochemback recuado. Na quarta, Willian Magrão fez a direita e Douglas fechou o meio-campo em formato de losango.

Quando não pode contar com o lateral, Renato apostou em Carlos Alberto, Vinicius Pacheco e Bruno Collaço. Nenhum chegou perto da eficiência de Lúcio, que espera atuar contra o Cruzeiro, sábado, para recuperar o ritmo de jogo:

“É importante pois fiquei quase 20 dias parado. Preciso recuperar a forma logo”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.