Tamanho do texto

Raul de Freitas Lázaro pediu desculpas aos dois clubes e aos espectadores do clássico de Campinas

Após fazer provocações aos torcedores do Guarani durante o dérbi campineiro do último sábado, que terminou vencido pela Ponte Preta por 2 a 0, no Moisés Lucarelli, o locutor do estádio pontepretano, Raul de Freitas Lázaro, pediu desculpas aos dois clubes e aos espectadores do embate, que terminou em confusão nas arquibancadas ocupadas pelos bugrinos.

Logo após o jogo, a Ponte já havia emitido nota em que reprovava qualquer incitação a violência por parte de seu funcionário. No mesmo comunicado, os dirigentes ainda garantiram que iriam averiguar o caso para tomar as medidas cabíveis.

No texto publicado nes segunda, Raul aponta a ação por "deixar a condição de torcedor preponderar sobre sua condição de profissional contratado a prestar um serviço ao clube", mas nega que isso seja uma justificativa.

Confira a nota na íntegra:

Eu, Raul de Freitas Lázaro, brasileiro, casado, autônomo, residente e domiciliado na comarca de Campinas-SP, venho com o devido respeito apresentar minha retratação à Associação Atlética Ponte Preta, ao Guarani Futebol Clube e a todos os espectadores da partida realizada no Estádio Moises Lucarelli, no dia 16 de julho de 2011, tendo em vista a manifestação de cunho pessoal realizada pela minha pessoa durante o intervalo da referida partida de futebol.

Infelizmente, errei por deixar minha condição de torcedor da Associação Atlética Ponte Preta preponderar sobre minha condição de profissional contratado para prestar um serviço ao clube, o que não pode e não deve ser interpretado como uma justificativa para meu erro, o qual, desde já, humildemente procuro retratar, através desta carta, a todas as pessoas que se sentiram ofendidas com esta situação.

Entretanto, o que deve ficar claro é que por mais que minha atitude tenha sido infeliz e inoportuna, a mesma não pode ser interpretada como o "estopim" para as atrocidades ocorridas dentro e fora do estádio, uma vez que é de conhecimento das autoridades que no momento em que proferi a infeliz frase, já haviam sido iniciados os atos de depredação e o incêndio que depredou parte das instalações físicas do estádio Moisés Lucarelli.

Peço novamente desculpas e retrato-me aos torcedores do time do Guarani Futebol Clube, pois o ato em si não teve, em absoluto, a intenção de atingir pessoalmente a ninguém, tão pouco prejudicar o evento esportivo em questão. Gostaria de reiterar minha retratação pública com a consciência de que atos como estes não mais se repetirão.

Sem mais,

Raul de Freitas Lázaro