Tamanho do texto

Atacante nunca conquistou a Liga dos Campeões. Correspondente latina move "Fenômeno" na despedida da carreira

Ronaldo pode não conseguir ser artilheiro pelo Corinthians no ano em que se despede do futebol, mas se dará por satisfeito se ajudar o clube com seus gols a conquistar sua primeira Copa Libertadores na história. De quebra, com o eventual título continental, Ronaldo conseguirá preencher uma das poucas lacunas do seu currículo recheado de conquistas.

Libertadores move Ronaldo no ano de sua despedida do futebol
AE
Libertadores move Ronaldo no ano de sua despedida do futebol
A conquista da Libertadores coroaria a parceria de sucesso entre o jogador e o Corinthians e daria a Ronaldo um título continental de grande porte que ainda lhe falta. A Libertadores, equivalente sul-americana da Liga dos Campeões da Europa, premiaria Ronaldo. No velho continente o atacante conseguiu apenas um título europeu, o menos badalado troféu da Copa da Uefa, conquistado em 1998 com a Inter de Milão.

O Corinthians estreia na Libertadores no dia 26, contra o Tolima, no Pacaembu. O jogo de volta contra o time colombiano acontece em Ibagué, no dia 2 de fevereiro. Ronaldo será poupado do duelo contra o Bragantino, nesta quarta-feira, para chegar inteiro para os confrontos que definirão a equipe que entrará no grupo 7 do torneio ao lado de Cruzeiro, Estudiantes e Guaraní-PAR.

O Fenômeno é misterioso quando fala de objetivos. As lesões, a dificuldade de adquirir ritmo de jogo e as cada vez mais frequentes ausências dos jogos do Corinthians o fazem calar-se sobre o assunto, mas ele admite que como em todo início de ano tem seus desafios.

“Sempre projeto coisas incríveis e coisas difíceis para todo mundo, mas esse ano não vou fazer projeção pública. Vai ficar guardado pra mim”, comentou na última quinta-feira.

Uma meta mais modesta e por isso mais fácil de ser alcançada no ano em que encerra sua carreira é a de vencer uma partida na sua cidade natal pelo Corinthians. A última vez que Ronaldo venceu no Rio de Janeiro foi com o Cruzeiro, em 1993, contra o Botafogo: 1 a 0, gol dele. Depois disso, foram cinco jogos no Rio, quatro pelo Corinthians e um com a seleção. Nenhuma vitória. Com o time paulista foram três empates e uma derrota. E com a seleção, uma derrota.

Seu único gol pelo Corinthians no Rio aconteceu na sua última visita ao Rio, na partida contra o Flamengo no Engenhão, empate por 1 a 1 em outubro.

Vale nota: Ronaldo se despedirá do futebol sem nunca ter marcado um gol no Maracanã, o maior símbolo do futebol brasileiro. O “Fenômeno” teve poucas chances de jogar no estádio e a possibilidade de deixar sua marca em uma de suas traves foi embora com as obras de reforma do estádio da final da Copa do Mundo, a grande competição do futebol mundial que tem que em Ronaldo como seu maior artilheiro, com 15 gols.