Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Leste Europeu vira reduto de jogadores brasileiros

Clubes da região oriental do continente, principalmente russos e ucranianos, apostam nos atletas daqui para serem respeitados

Mário André Monteiro, iG São Paulo |

De alguns anos para cá, o Shakhtar Donetsk vem crescendo dentro do cenário mundial do futebol, muito em função da grande quantidade de brasileiros que possui no elenco. Entretanto, não é a apenas o clube ucraniano que aposta em atletas brasileiros para tentar aparecer entre os grandes do continente. Outras equipes da Europa Oriental também buscam jogadores nos times daqui, porém, ainda sem o mesmo sucesso que o Shakhtar está conquistando.

A equipe de Donetsk possui oito em seu elenco, já contando Marcelo Moreno e Eduardo da Silva, que também têm nacionalidades boliviana e croata, respectivamente. São eles Alex Teixeira, Douglas Costa, Fernandinho, Jadson, Willian e Luiz Adriano. Ao todo, 15 brasileiros escreveram seu nome na história do clube, incluindo os oito atuais.

Brandão foi o primeiro a chegar, em 2002. O atacante ficou sete anos no Shakhtar e marcou 91 gols, se tornando o 4º maior artilheiro da história do time. Elano, Ilsinho e Matuzalém também tiveram um certo destaque na equipe, diferente do lateral esquerdo Ivan e do meia João Batista, que não deixaram saudade. Já o zagueiro Leonardo, ex-Santos, ainda tem vínculo com o clube, mas está emprestado para o Avaí.

AP
Brandão foi o primeiro brasileiro a chegar no Shakhtar Donetsk, em 2002
Na Ucrânia, o Dínamo de Kiev também tem sua legião de brasileiros. Betão, Danilo Silva, Leandro Almeida e Gerson Magrão. Outras equipes do país buscaram jogadores no Brasil recentemente para se reforçar. O Metalist, por exemplo, conta com Fininho, Cleiton Xavier, Edmar e Taison.

Antes da Ucrânia, clubes russos já apostavam em jogadores daqui. O CSKA Moscou contou nos últimos anos em seu plantel com Jô, Ramon, Dudu Cearense e Daniel Carvalho. Hoje, o único remanescente é Vagner Love, o principal jogador da equipe.

Ainda na Rússia, o Anzhi contratou, só este ano, o lateral Roberto Carlos, o volante Jucilei, o atacante Diego Tardelli e o desconhecido zagueiro João Carlos. Já o Spartak Moscou possui uma base mais sólida com os atletas brasileiros, com destaques para os meias Íbson e Alex, ex-Inter. Rafael Carioca, Ari e Welliton completam o grupo verde-amarelo do time da capital.

A Romênia também busca nos brasileiros o sucesso dentro da Europa. Entretanto, os atletas que jogam por lá são pouco conhecidos e provenientes, principalmente, do futebol português ou de outras ligas menores. No Cluj, Hugo Alcântara, Edimar, Léo Veloso e Rafael Bastos formam a base do time. Já no Vaslui, que tem três brasileiros, Gladstone comanda a defesa. Gerlem e Wesley são os outros dois.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG