Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Lesões e poucas chances: Escudero joga a cada oito dias no Grêmio

Falta de ritmo atrapalha rendimento e deixa atacante argentino na reserva

Hector Werlang, iG Porto Alegre |

AE
Renato Gaúcho (D) ainda espera melhor rendimento de Escudero
Uma falta cometida, 14 passes certos e quatro errados e duas perdas de bola. Estes foram os números de Escudero, de acordo com o Footstats, na vitória do Grêmio sobre o Junior pela Libertadores. A discreta atuação, sem uma única finalização a gol, revela o maior problema do argentino sob comando de Renato Gaúcho: a falta de ritmo de jogo.

“É compreensível, afinal, tem sequência de lesões que não o deixam 100%. No momento em que eu o tirei do time ele já me dizia que não estava completamente bem na parte física. É o que eu falo: as oportunidades surgem e o jogador precisa estar bem. Quando não se está na melhor condição física, tem que lutar, ajudar e se entregar. Isso ele fez muito bem. Apesar de tecnicamente estar abaixo dos demais”, reconheceu Renato.

Em 62 dias no clube gaúcho, Escudero atuou em sete partidas – uma média de um jogo a cada oito dias. As dores no tornozelo direito, no joelho esquerdo e nos músculos o impediram de ter sequência embora o treinador tenha demorado a escalá-lo no time titular. Fez apenas um gol, contra o Porto Alegre, pelo Gauchão.

Esta irregularidade o deixa atrás, por exemplo, de Leandro. Neste domingo, contra o Santa Cruz, o garoto será o companheiro de Borges no ataque. Carlos Alberto, antes de ser liberado por uma semana para resolver problemas particulares, também era preferido em relação ao argentino.

Em recente entrevista, Escudero admitiu ser prejudicado pelas lesões. Disse que esperava sequencia para mostrar o seu futebol. Precisa, agora, ganhar a posição de Leandro...

Leia tudo sobre: grêmioescudero

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG