Com dinheiro do Catar, brasileiro terá desafio de montar time para tirar o time da capital francesa do buraco

O brasileiro Leonardo foi confirmado nesta quarta-feira como novo diretor-geral do Paris Saint-Germain, da França. As especulações sobre a ida do ex-jogador para a equipe francesa começaram antes da saída dele da Internazionale de Milão , clube que anunciou "rescisão amigável" com o brasileiro no começo do mês .

Com 41 anos, Leonardo já havia atuado em um cargo diretivo no Milan antes de aceitar o desafio de ser treinador. Agora, de volta à função anterior, o brasileiro tentará montar um time vitorioso no PSG, que não vence o Campeonato Francês desde 1994. Para isso, ele terá o apoio do grupo de investidores Qatar Sports Investments, que adquiriu 70% das ações da equipe no último mês.

"Não queremos comprar dez 'Messis', pois não é assim que você vai construir uma equipe. Você precisa de uma base. Ela existe e deve ser melhorada. Queremos jogar a Liga dos Campeões e sermos bons na França. Não é um projeto para ganhar o primeiro jogo, mas há longo prazo. Eu tenho que estudar e, aos poucos, construir um projeto", afirmou o diretor.

Durante a sua carreira de jogador, que terminou em 2003, Leonardo teve uma rápida passagem pelo Paris Saint-Germain durante a temporada 1996/97, antes de se transferir para o Milan. Além da chegada do brasileiro, o time da capital francesa anunciou também nesta quarta-feira a saída de seu presidente, Robin Leproux .

*com agências

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.