Tamanho do texto

Três dos cinco gols sofridos pelo time no Brasileiro surgiram em jogadas de bola aérea

O atacante Kleber deixou o gramado do estádio Presidente Vargas irritado. Não só pela derrota por 2 a 0 para o Ceará , mas como ela começou: quando o Palmeiras dominava o jogo, levou um gol de cabeça de Washington, após cobrança de escanteio, aos oito minutos. Foi o terceiro sofrido pelo time na bola aérea em seis rodadas no Brasileiro.

"De novo tomamos um gol de cabeça, de escanteio", reclamou o atacante, revoltado por ver a falha facilitar a tática defensiva do adversário. "Vimos o jogo deles contra o São Paulo [vitória por 2 a 0 dos paulistas], sabíamos que não teríamos espaço. Não podemos começar um jogo desses atrás", continuou o Gladiador.

Mais calmo que o capitão, Marcos considerou o fato de o Verdão ter levado 60% dos cinco gols que sofreu na liga nacional em jogadas pelo alto como somente um descuido. "Temos treinado bastante, tínhamos um posicionamento. Quando dá errado, acontece o gol", disse o arqueiro.

Entre para a Torcida Virtual do seu time e convide os amigos

"O Felipão e os jogadores sabiam que o Washington cabeceia muito bem. Ele teve uma oportunidade e fez. Todos trabalham e têm o direito de se dar bem no fim de semana. Meti a cara na rede ainda no gol dele", continuou o camisa 12, até sorrindo.

Na tentativa de minimizar sua declaração, Kleber preferiu não culpar ninguém no lance em que Washington subiu praticamente sozinho para marcar. "É falha geral. No ataque, também não fomos bem", admitiu o Gladiador.

O atacante ainda viu a temperatura em Fortaleza como fundamental para a primeira derrota do time no Campeonato Brasileiro. "Jogando em um calor desses, como vamos correr atrás? O calor é para os dois, mas eles estão mais acostumados. Para correr atrás, fica complicado", lamentou Kleber.

null