Tamanho do texto

Em entrevista à TV Bandeirantes, o jogador disse não se arrepender da briga que travou com o técnico

O atacante Kleber não se arrependeu da briga que teve com o técnico Luiz Felipe Scolari . Apesar de a discussão ter colocado um fim em sua trajetória no Palestra Itália, o atacante confirmou o desentendimento com o pentacampeão no dia da briga entre o volante João Vitor e torcedores .

"Falei que só jogador estava se ferrando, e ele ficou puto, porque falou que a comissão técnica também estava junto e que há dez anos ele enfrentou os caras (organizada). Mas eu disse que ninguém tinha ido na casa dele agora e que ele coloca muita gente contra o time, com as declarações que dava, falando que o time parecia casados contra solteiros, que era igual acordar com mulher feia do lado...", afirmou o atleta, à TV Bandeirantes .

Veja também:  Kleber quase encontra jogadores do Palmeiras no aeroporto

O atrito com Felipão aconteceu na véspera da partida contra o Flamengo, há mais de um mês, quando a delegação alviverde se preparava para viajar ao Rio de Janeiro. Naquele momento, João Vitor chegou à Academia de Futebol machucado. Kleber, então, alega que o elenco ficou assustado ao ver a situação do colega e, a partir daí, responsabilizou o técnico por expor o plantel.

Kléber não deve mais defender o Palmeiras
AE
Kléber não deve mais defender o Palmeiras

"Falo com propriedade que 80% do grupo não gostam do Felipão, e 90% dos funcionários também não. Esta é a realidade. A escolha da diretoria foi ficar com ele e me afastar, mas não me arrependo de nada. Muita gente gostaria de ter a atitude que tive", acrescentou.

Palmeiras ainda corre risco de rebaixamento. Veja a classificação do Brasileirão

Kleber acusa também o pentacampeão de criticar abertamente os jogadores durante as reuniões com o elenco. O camisa 30 alega que Felipão ainda lamenta por não ter conseguido contratar o atacante Emerson, que foi para o Corinthians.

"Queira ou não, ele formou este elenco, porque os jogadores chegaram depois dele. Mas chamou o grupo uma vez e falou que não tem culpa de pedir o Emerson "Sheik" e trazerem o Ricardo Bueno. Nós achamos que ele estava louco de falar aquilo na frente do jogador. Agora, ele diz que foi o episódio do Flamengo. Mas, se eu sou tão importante assim, por que não renovaram e aumentaram meu salário?", completou.

O "Gladiador" aproveitou para reclamar pela forma como o treinador dispensou o volante Pierre, que acabou emprestado ao Atlético-MG, e o meia Lincoln, atualmente no Avaí.

"Eu vi o Pierre sair depois de quatro anos de clube em uma situação que a gente nunca imaginava. Agora, está jogando muito bem no Atlético-MG. Não podia estar em nosso elenco? E o Lincoln? Pode não ser o Lincoln de 20 anos de idade, mas poderia estar jogando 30 minutos. O grupo sente isso. Na despedida do Pierre no vestiário, choramos com o cara", recordou.