Atacante detona Roberto Frizzo, diz que tem lesão e segue negando pedido para aumento de seu salário

Se o clima entre Kleber e diretoria do Palmeiras já não era dos melhores, a tendência é que tudo só piore. Nesta segunda-feira, em entrevista à rádio Estadão/ESPN, o atacante usou das mais variadas palavras para criticar o vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo, disse que sua relação com a diretoria é péssima e que só iria piorar. 

"O Frizzo, em uma conversa comigo, pegou na minha mão e falou que resolveria minha situação. Três dias ele não ligou para o Pepe (empresário do atleta), não falou comigo, mesmo tendo dito que resolveria minha situação. Eu nunca pedi aumento para o Palmeiras, não tenho nada com ninguém, patrocinador, nada, eu não pedi aumento. Ele me chamou e falou que resolveríamos a situação, falou que ia estudar.  Falei que tudo bem, que iria esperar. Eu jogaria tendo aumento ou não, não tem nada a ver. O que não pode é ele falar que vai resolver e não me atende, nem me procura. Para mim, o Frizzo é medroso e não tem caráter. Se não vai resolver, não pega na minha mão, não me cumprimenta nem nada. Não fala comigo", disse Kleber.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

Kleber e Felipão conversam durante treino do Palmeiras na Academia de Futebol
Gazeta Press
Kleber e Felipão conversam durante treino do Palmeiras na Academia de Futebol
No último domingo, Kleber não jogou pelo Palmeiras contra o Santos . Apesar de ter sido relacionado por Felipão e liberado pelo departamento médico para jogar, o atacante não foi para a concentração e ainda fez um exame por conta própria no Hospital Albert Einstein para comprovar uma lesão.

O detalhe, no entanto, é que médicos e até a CNMF (Comissão Nacional de Médicos do Futebol) enviou comunicado afirmando que uma ressonância não comprova a lesão. Segundo eles, um problema muscular pode demorar até três meses para ser curado se o diagnóstico dependesse apenas de imagem.

Coloque seu time em 1º lugar na Torcida Virtual do iG Esporte

"Eu comuniquei o médico e pedi para ele marcar o exame, até tenho essa ligação no meu celular. Eu pedi para ele marcar, ia até o hospital e fazia o exame. Fui para a minha casa, passou três horas e ele não me ligou. Aí eu resolvi fazer por conta própria. Sei como funciona, não estou falando que o médico fez isso para forçar, mas pode ser que de repente o Frizzo falou pra ele nao fazer, só para me colocar logo e completar os sete jogos. Eu comuniquei o médico que estava com dor, e que elas voltaram no sábado após o treino", explicou.

"Tenho quase certeza que é medo. O cara está com medo das pressões, está com medo de dar uma satisfação ao Flamengo. Pô, me forçar a jogar o sétimo jogo porque tem medo de falar para o Flamengo que não? Só mostra o desrespeito comigo e com o Palmeiras. Quer me colocar no campo pra jogar a sétima partida me forçando a jogar, para evitar uma pressão que não é culpa minha", desabafou.

No meio de todas as críticas, Kleber ainda aproveitou para defender Luiz Felipe Scolari. Se no início do ano o atacante disparou contra o treinador no Twitter, agora, ele exalta o treinador e diz que ele merece ganhar o dobro do salário.

"O Felipão tinha que ganhar o dobro, porque ele resolve problema que é da diretoria. Se não tivéssemos ele, não sei o que seria da gente. Ele resolve muita coisa de gente incompetente la. O Frizzo tem o restaurante e pensa muito mais nisso do que no Palmeiras".

Kleber treinou normalmente na sexta e no sábado, segundo Felipão
Gazeta Press
Kleber treinou normalmente na sexta e no sábado, segundo Felipão

Apesar de acabar com qualquer bom relacionamento que ele tinha com Frizzo, o atacante disse que pode continuar para o resto de sua vida no Palmeiras. Ele explicou que o clima ruim com a diretoria não muda nada da sua vontade de ficar para sempre no Palestra Itália. 

"Eu tenho condição de ficar no Palmeiras para o resto da vida. Tenho e quero isso. Meu clima com o Felipão é excelente, é perfeito com os jogadores, maravilhoso com os funcionários e péssimo com a diretoria. Eles não frequentam o clube e não fazem nada por nós. Não faço questão de ficar bem com eles, quero ficar bem com a torcida, com os companheiros e com Felipão. Com eles, não faz diferença", finalizou. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.