Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Kassab analisa ajuda ao Palmeiras, mas descarta isenção fiscal

Prefeito de São Paulo visita obras de estádio e pode ajudar clube a acelerar entrega do complexo

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, visitou nesta terça-feira as obras da Nova Arena do Palmeiras e prometeu ajudar o clube em algumas medidas para baratear e acelerar a obra, além de analisar o pedido de aumento de área construída para o estacionamento. Apesar da boa vontade, o democrata negou que dará incentivos fiscais, assim como concedeu ao Corinthians na construção do estádio que sediará a abertura da Copa do Mundo de 2014.

Com a confirmação da visita feita em cima da hora, durante o almoço do dia 25 de dezembro, Kassab deu uma pequena volta na construção, assistiu ao filme que celebrava a parceria entre WTorre, que é a construtora responsável pelas obras, e a AEG, empresa norte-americana que fará a gestão do local, e conversou com a imprensa. Além de explicar o motivo de sua visita, ele adiantou que dificilmente o estádio palmeirense terá isenção fiscal.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

“São situações diferentes, estádios com peculiaridades. O do Corinthians vai ajudar a região, vai dar desenvolvimento para a zona leste, que precisa de muita coisa. Aqui, o do Palmeiras, não precisa ajudar a região, que já é um local muito bem desenvolvido, com boa estrutura”, destacou Kassab, para depois completar.

“Viemos aqui a pedido da WTorre e do Palmeiras para analisar dois pedidos especiais para as obras. O primeiro é para aumentar a quantidade de área construída para que o prédio de estacionamento tenha mais vagas. O número pularia de 1,6 mil para 3 mil. Além disso, também vamos analisar o pedido de derrubar a arquibancada que resta para acelerar e baratear a obra”, disse Kassab.

A arquibancada que ainda está de pé é a antiga construção que ficava atrás do gol do placar, por onde os times entravam no antigo Palestra Itália. Pelo alvará de construção concedido ter sido de reforma, é necessário que alguma parte continue em pé. Caso a legislação seja alterada, o Palmeiras poderia demolir o local e evitaria que um atraso de quatro meses aconteça.

A medida ainda será estudada por Kassab e não tem uma definição de como será feita. Engenheiros da WTorre consideram ideal que essa resposta seja dada até fevereiro, para que o planejamento possa ser mudado. É o que explica o diretor de novos negócios da WTorre, Rogério Dezembro.

“Estamos respeitando a legislação. Neste momento, temos que manter esta parte da arquibancada que não servirá para nada. A gente não pode demolir, mas não podemos reaproveitar, então vamos colocar a nova estrutura por cima dessa. Seria um monumento à burocracia. Sem isso, economizamos na hora de reforçar a estrutura antiga e ainda ganhamos tempo, cerca de quatro meses”, disse Dezembro.

Caso a arquibancada nova seja demolida, a expectativa é de que o estádio seja concluído até janeiro de 2013. Sem essa demolição, o prazo sobe pelo menos quatro meses. No fim de janeiro do ano que vem, o prédio multiuso e o de quadras serão entregues. Caberá ao Palmeiras fazer a mobília e liberar para o uso de seus sócios. 

Veja fotos de como estava a obra em setembro de 2011:

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG