Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Kalil diz não à Globo, mas decisão será do conselho deliberativo

Em entrevista à "ESPN Brasil", presidente do Atlético-MG questiona negociação pelos direitos do Brasileiro

Gazeta |

O presidente do Atlético-MG , Alexandre Kalil, manifestou publicamente o seu repúdio ao contrato de negociação pelos direitos de transmissão dos jogos do clube dos Campeonatos Brasileiros de 2012 a 2015, estabelecido pela Rede Globo.

Em entrevista à "ESPN Brasil", o dirigente questionou o valor da negociação, o fato de não ter havido concorrência para as demais mídias e os critérios de escolha da companhia de viagem utilizada. "Eu não tenho como assumir uma imposição que está sendo feita a nós de uma forma que nem a conta está fechando", disse.

Flickr/Clube Atlético Mineiro
Alexandre Kalil disse que, por sua vontade, não assinará o contrato com a Globo, mas a palavra final é do conselho do clube

O dirigente afirmou que não houve conversa entre a emissora e o Atlético-MG, que o contrato foi entregue ao clube e ponto final. Kalil afirma que como presidente não assinará o documento, mas a decisão final será tomada pelo Conselho Deliberativo do Atlético-MG.

Entenda o caso:

Em outubro de 2010, a Rede Globo e o Clube dos 13 assinaram um TCC (Termo de Compromisso e Cessação), em que se comprometiam a cumprir algumas determinações impostas pelo Cade. O órgão do Ministério da Justiça obrigou a emissora a abrir mão do direito de preferência que tinha até então, quando podia cobrir uma oferta de uma concorrente e levar o Brasileiro. Já o C13 se comprometeu a realizar uma concorrência aberta a todas as empresas, com propostas sendo feitas através de envelopes fechados e separação das mídias (TV aberta, TV fechada, pay-per-view, internet e telefone celular).

Um dia antes do Clube dos 13 divulgar as regras da concorrência para venda dos direitos de transmissão do Brasileiro, de 2012 a 2014, o Corinthians anunciou que deixaria a entidade . O presidente do clube paulista, Andrés Sanchez, disse que iria negociar em separado com as empresas interessadas em exibir os jogos do time.

A medida provocou um racha na entidade, já que outros clubes seguiram a decisão do clube paulista. Atual detentora dos direitos de transmissão do Brasileiro, a Rede Globo enfraqueceu ainda mais o Clube dos 13 ao anunciar que não participaria da concorrência organizada pela entidade .

Apesar de já não contar com o apoio de mais da metade dos filiados, o C13 realizou a licitação, que teve como único concorrente a Rede TV!. A emissora ofereceu R$ 516 milhões por ano para transmitir os jogos do Brasileiro na TV aberta e venceu a concorrência .

Mesmo com o anuncio do resultado da licitação e da assinatura do contrato com a emissora, mais clubes passaram a negociar com a Rede Globo. O Grêmio foi o primeiro a firmar acordo com a emissora , ignorando o C13. Outros clubes seguiram o mesmo caminho e 14 filiados do C13 já anunciaram acordo com a empresa. Os valores dos contratos não foram divulgados.

O Clube dos 13 tentou pressionar o Cade para impedir os acordos individuais assinados pelas equipes com a Globo. O órgão, entretanto, respondeu a petição da entidade informando que não poderia intervir nas negociações, mas solicitou à empresa que enviasse os contratos para análise .

Vale lembrar que a disputa não muda nada em relação ao Campeonato Brasileiro deste ano, que será transmitido pela Globo e Bandeirantes. Os acordos que estão sendo negociados valem para a exibição das partidas a partir de 2012.

Leia tudo sobre: Atlético-MGClube dos 13Globo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG