Tamanho do texto

"A nossas posições eram [diferentes] quando ele era vivo, mas ele se foi" disse o presidente do São Paulo

Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo
AE
Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo
O presidente do São Paulo , Juvenal Juvêncio, cometeu uma gafe em entrevista à rádio Estadão/ESPN ao tratar o ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, como morto.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Perguntado sobre a saída do cartola do órgão máximo do futebol brasileiro, Juvêncio disse: “Ele acabou chegando [à CBF] pelo sogro [o ex-presidente da Fifa, João Havelange]. Tem gente que diz até que ele foi bom, trouxe a Copa, etc. Mas eu acho que o Ricardo não é um homem do futebol. [...]A partir daí, eu entendo que ele se foi. Não é agora que a gente vai falar dele porque ele se foi. A nossas posições eram [diferentes ] quando ele era vivo, mas ele se foi.”

Leia mais: Kassab confirma a Juvenal alvará na segunda para cobertura do Morumbi

O dirigente do São Paulo ainda comentou sobre outros assuntos. Segundo ele, Lucas e Neymar teriam lugar garantido em sua seleção e “depois pensaria nos demais”. Quanto ao “caso Oscar”, Juvenal disse estranhar o comportamento do jogador, que está sendo disputado na Justiça entre São Paulo e Internacional . “Ele não tem razão pra isso. Acho que ele está induzido a falar essas coisas. Ele teve uma convivência pacífica com a gente. De repente ele é cooptado e se transforma. Ele vai amadurecer, vai se reciclar, olhar pra trás e dizer “O que eu tenho contra o São Paulo? Nada.”

Veja também: Para Leão, virada em Itu é prova de que São Paulo não é uma mentira

Por fim, o cartola falou sobre as obras do Morumbi, estimando que a cobertura do estádio fique pronta no meio do ano que vem e condicionando a construção do hotel que o time planeja à aprovação da Câmara Municipal de São Paulo.