Meia tem sido de polêmicas com treinadores do São Paulo e por isso o presidente deu aval para o novo técnico Leão não utilizá-lo

Por se sentir até humilhado na reserva do São Paulo , Rivaldo foi um dos argumentos para a demissão de Paulo César Carpegiani em junho. Ao ser escalado demais, virou motivo para a dispensa de Adilson Batista na semana passada. Agora, o veterano está nas mãos de Emerson Leão, que já o tirou dos relacionados para sua estréia nesta quarta-feira, contra o Libertad, no Paraguai.

"Essa decisão é do técnico. Se ele disser a mim que não vai aproveitá-lo, vou conversar com o Rivaldo qual é o melhor destino para ele. É um grande cidadão e merece o nosso respeito", explicou o presidente Juvenal Juvêncio, avisando que o camisa 10 pode ser dispensado antes mesmo do fim de seu contrato, no final do ano.

São Paulo é o sexto no Brasileirão. Veja a tabela

Fora da relação dos 20 escolhidos para viajar ao Paraguai na noite dessa segunda-feira, o meia de 39 anos treinou pela manhã no CCT da Barra Funda ao lado dos também preteridos Rodrigo Caio e Dener, ambos volantes promovidos das categorias de base nesta temporada.

Para o caso, entretanto, o melhor jogador do mundo em 1999 mantém postura amena para evitar polêmica. "Saindo do CT, hoje treinei junto com meus companheiros de equipe Dener e Rodrigo Caio, muito bom treino físico com Sérgio [Rocha] preparador físico. Indo para casa almoçar com a família e levar meus filhos para escola. Deus abençoe a todos." Foi a única manifestação pública de Rivaldo nesta terça-feira, via twitter.

Leia também: Juvenal dá ultimato a elenco, isenta técnicos e promete desmanche

Mas o que pode pôr um fim precoce e frustrante à sua passagem pelo Morumbi é exatamente um posicionamento menos conciliador. Convidado por Rogério Ceni no início do ano, abrindo mão de cuidar do Mogi Mirim, clube do qual é proprietário, o pentacampeão foi decisivo na saída de Carpegiani.

Pedido pela torcida sempre que a equipe não agrada, mesmo com 15 minutos de partida, o camisa 10 virou uma crise a ser administrada também por Adilson Batista, que chegou a colocá-lo como titular e, na opinião de Juvenal Juvêncio, insistiu nisso apesar de o veterano não merecer para não se indispor mais com a torcida. Por isso, foi demitido.

Em sua última passagem como interino neste ano, o coordenador técnico Milton Cruz deixou o camisa 10 na reserva, colocando-o durante a vitória por 1 a 0 sobre o Libertad e o empate sem gols com o Coritiba. Emerson Leão, contudo, chegou já o colocando de lado em seu primeira dia no CCT da Barra Funda. Deixando claro que a passagem de Rivaldo está bem perto do fim.

Entre na Torcida Virtual do São Paulo e comente sobre Rivaldo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.