Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Justiça mineira nega pedido de habeas corpus do goleiro Bruno

Condenado por sequestro de Eliza Samudio, ex-Flamengo segue preso em MG, aguardando julgamento pelo desaparecimento da ex-amante

Gazeta |

Nesta terça-feira, em uma audiência na 4ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, foi negado o pedido de habeas corpus do goleiro Bruno Fernandes, acusado de estar envolvido no assassinato de Eliza Samudio, sua ex-amante. O ex-goleiro do Flamengo segue preso na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na capital mineira, onde permanece desde julho do ano passado.

O pedido de habeas corpus solicitado pelo advogado de Bruno, Cláudio Dalledone, foi estudado por três desembargadores e todos votaram contra a liberdade do goleiro, que deverá aguardar a data do julgamento pelo desaparecimento e morte de Samudio, em cárcere.

Ainda que o jogador tivesse seu pedido aceito pela Justiça, não poderia ser solto de imediato, já que responde pelos crimes de seqüestro e lesão corporal no Rio de Janeiro. Bruno foi condenado a quatro anos de prisão por conta do seqüestro de Samudio, além de forçá-la a ingerir substâncias abortivas. O corpo de Eliza Samudio, morta no interior de Minas Gerais, ainda não foi localizado.

Leia tudo sobre: goleiro brunoeliza samudiopolíciacrimehabeas corpus

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG