Área no Rio de Janeiro é alvo de disputa entre entidade e empresário. Homem que se dizia vigia foi preso

selo

Oficiais de Justiça cumpriram na manhã desta segunda-feira uma ordem de demolição de construções irregulares no terreno onde a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pretende construir sua nova sede, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. A decisão é da juíza Érica Batista, da 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca. A área é alvo de disputa entre a entidade e o empresário Pasquale Mauro. Ambos se declaram donos do terreno.

Segundo a polícia, que dá apoio aos oficiais, um homem foi preso no momento da chegada ao local. Ele se dizia vigilante do terreno e estava com réplicas de um fuzil N16 e de uma pistola. Pelo menos dez barracos serão derrubados. As secretarias municipais de Assistência Social e de Habitação do Rio informaram que não foram acionadas para ajudar na remoção das famílias.

A intenção inicial da CBF era de concluir a nova sede até janeiro de 2013, quando o Brasil vai sediar a Copa das Confederações. O objetivo da entidade é substituir a Granja Comary, em Teresópolis, na região serrana, que abriga os atletas da seleção desde a década de 1980.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.