Tamanho do texto

Consórcio responsável pela reforma do estádio, favorito para receber a final da Copa de 2014, já pediu o retorno ao trabalho

O TRT (Tribunal Regional do Trabalho) considerou nesta sexta-feira abusiva a greve dos funcionários da reforma do estádio do Maracanã , no Rio de Janeiro, para a Copa do Mundo de 2014 e o Consórcio Maracanã Rio 2014, responsável pela obra, já convocou os funcionários para retornar ao trabalho.  A decisão foi da desembargadora Maria de Lourdes Sallaberry, a Seção Especializada em Dissídios Coletivos.

Como estão os 12 estádios a mil dias da Copa

Em greve havia 16 dias, os trabalhadores, representados pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada Intermunicipal do Rio de Janeiro (Sitraicp), reivindicavam melhores condições de trabalho, principalmente com relação à alimentação. Segundo os grevistas, a comida fornecida pelo consórcio estava estragada. Outro fator de motivação à greve é a suposta redução do salário.

Na terça-feira, uma passeata ao redor do estádio intensificou o protesto . Com previsão de conclusão para dezembro de 2012, o Maracanã é o favorito para receber a final da Copa do Mundo, dia 13 de julho de 2014. Por enquanto, segundo a Secretaria de Obras do Estado do Rio, o cronograma está mantido, apesar do braço cruzado dos trabalhadores.

Não tinha sido a primeira parada dos funcionários, que em agosto haviam paralisado a obra depois que um operário se feriu no canteiro ao tentar cortar um galão com resíduos metálicos e de combustível. A explosão do galão provocou lesões no joelho e na perna do funcionário. Os operários iniciaram no mesmo dia do acidente uma greve para cobrar melhores condições de segurança e trabalho.

Veja como vai ficar o Maracanã depois de pronto: