Tamanho do texto

Jogador minimiza vaias ao time e ao técnico do Vasco após a derrota na estreia na Libertadores

Juninho Pernambucano já foi campeão da Libertadores pelo Vasco em 1998
Futura Press
Juninho Pernambucano já foi campeão da Libertadores pelo Vasco em 1998
Sempre ponderado, Juninho Pernambucano deixou o campo de jogo elogiando o Nacional-URU, que na noite desta quarta-feira derrotou o time carioca por 2 a 1 na estreia da Libertadores, em São Januário. Para o meia cruzmaltino, o bom toque de bola do adversário surpreendeu os vascaínos, que não souberam reagir a ponto de empatar a partida.

Leia mais: Vasco joga mal e estreia na Libertadores com derrota em casa

"O time deles jogou muito bem, eles têm bem a saída de bola, saíam bem nos contra-ataques. Não acho que fomos surpreendidos. Mérito deles. É isso aí.Ganhamos os quatro primeiro jogos da temporada e mão fomos bem na estreia da Libertadores. Não é bom começar perdendo e casa.
mas temos que dar a volta por cima. Agora é trabalhar para reverter esse quadro lá na frente", disse Juninho, que mais uma vez suportou os 90 minutos de jogo.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

A torcida, irritada, vaiou o time e o técnico Cristóvão Borges, que manteve Bernardo no banco de reservas depois de a torcida pedir a entrada do meia durante todo o segundo tempo.

Confira ainda: Ricardo Gomes diz que só assina novo contrato quando voltar

"É natural que o torcedor não fique satisfeito. É reação de torcedor de time grande. Tem muita coisa pela frente ainda", destacou Juninho.