Meia é submetido a testes de força com fisiologistas do Vasco e somente nesta quinta será integrado ao grupo

O meia Juninho Pernambucano fez na manhã desta quarta-feira seu primeiro trabalho no campo, em São Januário. Não foi um treino com os novos companheiros, o jogador ficou apenas 20 minutos no gramado realizando testes de força e resistência. Porém, o suficiente para já imaginá-lo no time para a disputa do Brasileiro e da Copa Sul-Americana.

Juninho treinou observado pelos fisiologistas Daniel Gonçalves e Rodnei Martins. O craque foi exigido em tiros curtos de alta intensidade para que a comissão técnica tenha a exata noção do seu condicionamento. O resultado final da avaliação só será conhecido nesta quinta. E só então o preparador físico Rodrigo Poletto montará um trabalho específico para o jogador, dando ênfase às valências mais deficitárias.

Juninho corre na beira do campo por 20 minutos
Maurício Val / Fotocom.net
Juninho corre na beira do campo por 20 minutos
Está previsto para a manhã de quinta, no entanto, o primeiro treino do Reizinho com o restante do elenco. Enquanto isso, os jogadores vislumbram como será o Vasco com a entrada do meia. O camisa 10 Diego Souza diz que o técnico Ricardo Gomes terá muita dor de cabeça para encaixar Juninho na equipe.

"O lugar que ele vai jogar? Assim é meio complicado de te responder...O Ricardo vai ter que pensar bem, mas vai ter vaga pra ele com certeza", disse Diego Souza, avaliando suas novas atribuições no time com o nova formação.

"Para mim, não vai mudar muita coisa, não. Juninho sempre jogou vindo com a bola, Felipe joga na minha função ou como terceiro homem vindo também. Com os dois, acho que não muda a minha posição, mas posso ajudar para marcar. Não vai ter problema".

nullO volante Allan , hoje improvisado na lateral direita, lembra que era criança quando Juninho começou a escrever seu nome na história do Vasco. Ao ver o novo camisa 8 em campo, voltou no tempo e já admite pedir autógrafo ao novo companheiro.

"Ah...com certeza vou tirar uma foto com ele. Eu tinha uns 7, 8 anos quando ele fez aquele gesto batendo no peito na final da (Copa) Mercosul, contra o Palmeiras. Juninho é um ídolo e aqui todos se espelham nele".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.