Tamanho do texto

Ainda faltam acertar detalhes da demissão de Sergio Batista para que o técnico campeão da Libertadores pelo Estudiantes assuma

O ex-técnico do Estudiantes Alejandro Sabella dirigirá a seleção argentina assim que forem acertados os detalhes para a demissão de Sergio Batista, anunciou nesta quarta-feira o presidente da Associação do Futebol Argentino, Julio Grondona, em entrevista à emissora de rádio "Rivadavia", de Buenos Aires.

"Amanhã (quinta-feira), vamos falar sobre como as coisas estão acontecendo. Assim que o contrato de Batista for encerrado, avançaremos com Sabella e o anunciaremos", declarou o dirigente, que disse que a saída do atual treinador será dada de forma amigável.

"Tomara que tudo seja resolvido o mais rápido possível. Conversei com Batista, e ele me disse que sempre estará a nossa disposição", comentou o dirigente, que depois acrescentou: "Acho que a escolha de Sabella não provocará críticas no âmbito do futebol argentino". A demissão do atual treinador foi decidida por consenso por dirigentes da AFA aconteceu após a eliminação da Argentina nas quartas de final de uma Copa América sediada pelo país.

Grondona informou também que Carlos Bilardo deixará de ser o diretor de seleções para se transformar em seu assessor pessoal: "Quem precisa do Bilardo sou eu", declarou. Presente em uma lista de possíveis substitutos de Batista, o técnico Carlos Bianchi do Boca Juniors não foi sequer procurado, e, segundo o presidente da Associação, não dirigirá a seleção enquanto ele estiver à frente do organismo.

"Fui atrás dele duas vezes após a Copa de 1998 e ele me disse 'não'. Depois, deu algumas declarações de que não gostei. Ele disse coisas que fazem com que seja muito difícil que possamos nos olhar na cara", afirmou.

Sabella, de 56 anos, conduziu o Estudiantes ao título da Taça Libertadores de 2009 e ao do Torneio Apertura do Campeonato Argentino de 2010. Atualmente, estava prestes a acertar com o Al Jazira, dos Emirados Árabes, para substituir Abel Braga, que assumiu o Fluminense.