Tamanho do texto

Corinthians promete não abrir mão de atacar, já que a vitória vale a liderança do Campeonato Brasileiro

O Corinthians começa a planejar a estratégia para derrotar o Vasco , no domingo que vem, e reassumir a liderança. Ciente da dificuldade que vai encontrar em São Januário lotado, o time paulista promete não abrir mão de atacar, já que a vitória vale a primeira colocação, e projeta como cenário ideal sair à frente no marcador.

"É muito ruim jogar contra um time que não quer vencer. O Vasco vai marcar, mas vai ter que atacar também, vai abrir espaço. A gente vai também querer atacá-los, e então eles também vão ter espaço", disse o goleiro Julio Cesar, em entrevista ao 'Sportv'. "Eu imagino o Corinthians se segurando em um primeiro momento, mas em busca da vitória. Se a gente sair na frente, essa situação (confortável) vai mudar de lado".

No primeiro confronto com a equipe carioca, válido pelo primeiro turno do Brasileiro, Julio Cesar foi vítima do calibre afiado de Juninho Pernambucano. O ídolo vascaíno fazia sua reestreia pelo clube e, logo no primeiro minuto, anotou o gol que abriu a conta no Pacaembu. Para sua sorte, o Corinthians não acusou o golpe e virou ainda na etapa inicial, com gols de Ralf e Paulinho.

Aquele gol de Juninho foi a última grande falha do camisa 1 até aqui. Desde então, ele tem afastado as sombras Danilo Fernandes e Renan e ganhado crédito junto à torcida corintiana. Quem não tem tido tanta moral recentemente é o zagueiro Chicão, que pediu dispensa do clássico com o São Paulo ao saber que começaria na reserva. Coincidência ou não, nos dois jogos em que ele se ausentou (foi barrado também contra o Bahia), a zaga não foi vazada.

"Sem querer ser demagogo, mas temos zagueiros bons, independentemente se joga Wallace, Castán, Chicão, Paulo André ou André Vinícius", minimizou o goleiro. "O que muda com a saída do Chicão é que a gente ganha mais estatura, porque o Wallace e o Paulo André são mais altos. Mas a qualidade é a mesma. A marcação depende de Ralf, Paulinho, Edenílson, de todos".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.