Goleiro do Bahia está suspenso por um ano pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter sido pego no exame antidoping no dia 28 de agosto

O caso de doping do goleiro Renê terá uma definição final nesta quinta-feira. O atleta está suspenso por um ano pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter sido pego no exame antidoping no dia 28 de agosto, depois do jogo contra a Portuguesa.

O jogador foi enquadrado no artigo 2.1 do Código Mundial Antidopagem, por uso de uma substância chamada Furosemida, que, segundo o goleiro alegou, faz parte da composição de um remédio chamado Lasix, que ele utiliza por dor de cabeça, segundo afirmou em depoimento no Rio de Janeiro.

Como o clube baiano recorreu, o goleiro terá mais uma oportunidade para se defender, junto com os advogados do clube.

O Bahia espera conseguir a absolvição do jogador, alegando que ele não fez o uso das substâncias para se beneficiar. Este argumento já foi utilizado por outros clubes, que conseguiram diminuir a pena dos atletas para 60 dias, que depois foram revertidos em cestas básicas.

Em compensação, a procuradoria do Tribunal quer que a pena seja aumentada para dois anos, como mandaria a pena máxima que o atleta poderia receber.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.