Com base em denúncias de conselheiro, MP tinha solicitado que o antigo estádio fosse reconstruído

A continuação das obras da Arena Palestra Itália estão asseguradas, ao menos por enquanto. O pedido do Ministério Público para que fosse paralisada a construção do novo estádio do Palmeiras foi negado pelo juiz Marcelo Sérgio, da 2ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo. Em sua ação, na última sexta-feira, o promotor José Carlos de Freitas pedia a anulação de revalidação do alvará que permite a construção da Arena Palestra. Além disso, ele exigia em sua ação que o antigo estádio fosse reconstruído, assim como a antiga área verde existente no clube deveria ser recomposta.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

"Não vislumbro efetivo perigo da demora [na construção do novo estádio], primeiro, porque o antigo Palestra Itália já não mais existe, e, mesmo que as obras prossigam, o Poder Judiciário poderá, mais à frente, impedir seu uso e, se procedente a pretensão, determinar a demolição e a restauração da vegetação (já destruída)", escreveu o juiz Marcelo Sérgio em seu despacho. "Vale lembrar que não há notícia de que o erário público esteja sendo afetado com a realização das obras, de modo que, se for necessário o desfazimento da obra, o prejuízo será exclusivo das entidades privadas, que, cientes da presente ação, estão a assumir o risco pelo insucesso do empreendimento. Com esses fundamentos, indefiro a tutela requerida", completou o juiz.

Coloque seu time em 1º no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte

Parte do pedido de anulação pelo MP foi feito com base em denúncias do conselheiro Gilto Avalone, conforme ele mesmo afirmou ao iG na última sexta-feira. O conselheiro produziu um dossiê apontando os pontos que considerou falhos na obra.

O Ministério Público, em sua ação, dizia que seu objetivo era defender o meio ambiente de um dano que pode ser irreversível e dava um prazo de 30 dias para que todas as obras já realizadas fossem demolidas e que num período de até 12 meses toda a área verde voltasse ao normal, de acordo com o fixado pelos índices urbanísticos fixados pelo Plano Diretor.

O iG visitou o Palmeiras em abril e registrou o início das obras. Veja as fotos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.