Seleção perdeu todos os penâltis e caiu diante do Paraguai depois de empate no tempo regulamentar e na prorrogação

A eliminação do Brasil nas quartas de final da Copa América para o Paraguai , que venceu a decisão por pênaltis por 2 a 0 após empate sem gols no tempo normal e na prorrogação, repercutiu na imprensa internacional, que destacou a queda precoce da sempre favorita seleção brasileira .

Um dia após a eliminação da Argentina, que caiu para o Uruguai também nas penalidades máximas , o jornal Olé lembrou que o Brasil era o atual bicampeão da competição e que agora "deixa o trono livre" para ser ocupado por outra seleção.

"Como na Copa do Mundo, a verde e amarela caiu no caminho de forma prematura. Recorreu ao mesmo caminho da Argentina...", lembrou o diário portenho.

Dando mais destaque ao vice-campeonato da seleção americana na Copa do Mundo de Futebol Feminino, o New York Times não deixou de lembrar da decepção brasileira entre os homens, e afirmou que o Brasil, favorito a ganhar a competição, seguiu o mesmo de Argentina e Colômbia, que também pararam nas quartas de final.

Já os jornais ibéricos deram destaque ao péssimo desempenho do Brasil nas cobranças de pênalti, que foram desperdiçados por Elano, Thiago Silva, André Santos e Fred. "Canarinha sem pontaria eliminada pelo Paraguai", é a chamada do diário português Record , enquanto o espanhol Marca diz que os brasileiros sofreram "pena máxima" na marca do pênalti.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.