Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Jorginho usa seu passado como atleta por confiança no Figueirense

Treinador lembra que, no Flamengo dos 1980, substituiu Leandro, então o melhor lateral direito do mundo

Gazeta |

Jorginho se apresentou no Figueirense admitindo que não sabe muito sobre o futebol catarinense e mostrou estar ciente da dificuldade de substituir Márcio Goiano, que subiu com o time na Série B com 61% de aproveitamento. O técnico, porém, avisa que sabe como tudo funciona em campo. E lembra que foi um lateral direito de destaque.

"É muita responsabilidade, mas lembro da minha época como jogador. No Flamengo, tive que substituir o Leandro, que era o melhor lateral direito do mundo", comparou o treinador, falando do titular do Rubro-negro campeão mundial em 1981 e da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1982.

Como atleta, o ex-auxiliar de Dunga na Copa do Mundo de 2010 teve uma carreira vitoriosa. Na seleção brasileira, foi o dono da posição no time que conquistou a Copa do Mundo de 1994. Nos clubes, teve sucesso no Flamengo e no futebol alemão. Os questionamentos, porém, são em relação ao seu desempenho como técnico.

Jorginho, no entanto, se nega a concordar que

seja uma aposta da diretoria do Figueirense. Lembra que já comandou o América-RJ que chegou à decisão da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, em 2006, antes de assumir cargo na comissão técnica da seleção. No ano passado, ele comandou o Goiás em parte da campanha que culminou com o rebaixamento do time na Série A do Brasileiro.

Para mostrar que tem condições de se destacar como treinador, o ex-lateral, hoje com 46 anos, tem assistido a vídeos com jogos de seu novo time. "Conheço pouco o futebol catarinense, mas estou vendo todos os jogos do Figueirense no primeiro turno (do Estadual). E sei que o futebol é mais pegado no sul do Brasil, mas com qualidade."

Se ainda pede confiança da torcida, que foi ao estádio Orlando Scarpelli protestar contra a demissão de Márcio Goiano, Jorginho chega bem cotado com a diretoria. Já trouxe o seu auxiliar, Marcelo cabo, e poderá fazer a reformulação que quiser no elenco, que liderou a fase de classificação do primeiro turno do Catarinense, mas perdeu a decisão para o Criciúma, no último domingo.

"Mas primeiro vou avaliar os jogadores que estão aqui. Depois, posso começar a pensar em contratações se houver necessidade", afirmou o treinador, que comandou sua primeira atividade no clube nesta quinta-feira e estreará nesta sexta, contra o Metropolitano.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG