Tamanho do texto

Time enfrenta o Avaí e carrega a vantagem do empate para tentar chegar à final do Campeonato Catarinense

Na semifinal do Campeonato Catarinense, o Figueirense entra em campo diante do Avaí com duas vantagens: atuar em casa e a possibilidade de se classificar à final com um simples empate. Ainda assim, o técnico Jorginho quer afastar o clima de confiança exagerada do Orlando Scarpelli.

"Não há favorito, precisamos pensar em matar o jogo. Só vamos pensar em empate depois dos 40 minutos", comentou o auxiliar de Dunga na seleção brasileira na Copa do Mundo de 2010.

Outra preocupação de Jorginho está no clima externo da partida. No encontro de ida, na casa do Avaí, foram registrados lamentáveis episódios de violência entre as torcidas. O temor é de um possível troco dos seguidores do Figueirense.

"Quero que a nossa torcida trate o pessoal do Avaí com respeito, apenas vaiando quando o time deles estiver com a bola. A pior situação seria revidar", avisou Jorginho.