Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Jonas é vaiado, marca dois e vira para o Grêmio contra o São José

Atacante foi o principal responsável pela vitória do Grêmio sobre o São José, nesta sexta-feira por 2 a 1

Gazeta |

A torcida gremista havia comemorado 76 gols de Jonas. Diante do São José, no Olímpico, o camisa 7 ouviu vaias ao marcar o primeiro do Grêmio na vitória, de virada, sobre o São José por 2 a 1. Mas como se diz no Sul, Jonas não se mixou. Foi lá e fez o segundo, dando mais uma vitória para o clube, em partida antecipada pela quarta rodada do primeiro turno do Campeonato Gaúcho.

No último jogo contra os titulares antes da pré-Libertadores, o Grêmio não conseguiu conquistar a confiança do seu torcedor para a disputa contra o Liverpool. Apresentando um futebol pouco incisivo, sobretudo no primeiro tempo, o Tricolor teve dificuldades para conquistar a primeira vitória do ano.

nullO pior, o Olímpico presenciou uma impensável briga entre Jonas e a torcida gremista. Após sofrer um gol por cobertura, no início do segundo tempo, o atacante empatou em um belo chute no canto. Na comemoração, o jogador saiu soltando palavrões para a torcida. O ato reflexo dos torcedores foram vaias, muitas vaias. A atitude só mudou quatro minutos depois, quando Jonas virou o jogo, cobrando falta para em seu gol de número 78 pelo clube para voltar a ouvir a comemoração das arquibancadas.

Os três pontos, colocam o Grêmio na segunda colocação do Grupo 2. O São José segue na penúltima da outra chave.

No domingo, o Grêmio, com os reservas, enfrenta o Canoas, fora de casa. Na segunda-feira, o São José recebe o Juventude.


nullO jogo
Em campo um time muito similar ao que enfrentará o Liverpool, pela pré-Libertadores. Em campo uma atuação que os gremistas esperam não ver na quarta-feira, no Uruguai. Mesmo sendo muito superior ao São José, o Grêmio não conseguiu empolgar.

Atacar até não foi o problema. A quantidade de chutes no primeiro tempo, sete, não é considerada baixa. A questão é o modo como se chegava ao ataque.

De dentro da área, Fábio Rochmeback e Gabriel bateram para fora. André Lima desperdiçou cabeçada com o gol aberto. Paulo tocou na trave após cobrança de falta de Douglas. Foi só. Ir às redes até não estava tão distante, mas o Grêmio não passava confiança.

Os donos da casa chegavam não por estarem jogando muito ou com uma boa atuação. O Grêmio rondava a área adversária simplesmente por ser melhor que o São José.

A noite quente, beirando os 30 graus em Porto Alegre, não impediu que o jovem Mateus Carioca sentisse frio. Frio na barriga por sua estreia como profissional. O jovem da base substituiu Lúcio, lesionado. Tímido, o garoto não apareceu do jogo, sendo substituído por Dener, no intervalo.

Lúcio, com lesão muscular, não atuará pela pré-Lbertadores. Sem ele, o time de Renato Gaúcho ataca só por um lado, o direito, facilitando o trabalho da defesa adversária. Com Douglas bem marcado, o Grêmio precisava de muito esforço para criar lances de perigo.

A tática de amornar o jogo do São José rendeu um belo fruto. Um frutaço. Em escapada pela direita, o São José cruzou na área, aos 3 minutos do segundo tempo. Victor conseguiu tapear a bola para fora da área. Da intermediária, Marabá tocou por cobertura, com o goleiro ainda no meio do caminho, e viu a rede balançar.

E desvantagem, o Grêmio colocou velocidade no jogo. Pressionou como ainda não havia feito na partida. Em 10 minutos teve três grandes chances, duas delas pararam em grandes defesas do goleiro Rafael, a outra foi para fora.

Renato colocou um terceiro atacante, Lins, contratado para esta temporada. A postura ofensiva deu intensidade ao jogo. O Tricolor seguiu na tentativa de descontar. O São José escapa nos contra-ataques. A torcida passou a demonstrar impaciência.

Então, aos 31 minutos, o Estádio Olímpico saiu da realidade. Nenhum louco, nem ninguém poderiam imaginar ver a torcida não comemorar o empate. Após parede de André Lima, Jonas bateu para igualar o placar. Colocou a bola na rede para, do nada, xingar a torcida e ouvir uma vaia imensa.

Artilheiro e torcida estavam brigados. O melhor modo de um atacante selar a paz é marcando gol. Quatro minutos depois, Jonas cobrou falta com perfeição, virando a partida e ouviu a torcida comemorar o gol e a primeira vitória no ano.

Leia tudo sobre: grêmiocampeonato gaúcho 2011jonas

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG