Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Jogadores querem dedicar título à torcida do Fluminense

Gum, Emerson e Washington relembram momentos marcantes e esperam retribuir o carinho vindo das arquibancadas com o bicampeonato brasileiro

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237854459059&_c_=MiGComponente_C

A torcida do Fluminense não comemora um Campeonato Brasileiro desde 1984. Nos últimos cinco anos viu o clube brigar mais contra o rebaixamento do que por títulos, e só vibrou com as conquistas do Estadual de 2005 e da Copa do Brasil de 2007. Ficou no quase duas vezes contra o mesmo LDU: em 2008, na derrota, por pênaltis, da Libertadores, e, no ano passado, na perda do título da Sul-Americana. Sofrida, mas presente e apaixonada. Assim tem sido o perfil da imensa torcida do Fluminense.

Mas esse amor e dedicação ao clube do coração não passam em branco. Pelo menos aos olhos dos jogadores. Um dois líderes do grupo, Gum jamais vai se esquecer da calorosa recepção no aeroporto Santos Dumont de mais de 500 torcedores após a goleada de 5 a 1 sofrida para a LDU na primeira partida da final da Sul-Americana.

Photocamera
Gum (esq.) conversa com Carlinhos durante treino do Fluminense nas Laranjeiras
 
Naquele momento nós criamos um elo com a torcida que impulsionou nossa arrancada contra o rebaixamento. Eles nos apoiaram em massa e foram determinantes na permanência do clube na Série A. Queremos muito devolver esse carinho e apoio com o título, disse Gum.

Remanescente da equipe que viveu a pior derrota da história do Fluminense, Washington é suspeito para falar. Afinal, o atacante viu a insana procura por ingressos na final da Libertadores de 2008, que culminou numa das mais belas festas da história do Maracanã.

Eu sempre falo que infelizmente já vi o torcedor do Fluminense muito triste naquele fatídico dia. Por isso, uma das coisas que eu mais quero na minha vida é dar uma alegria para essa torcida. Ela tem nos apoiado nos bons e nos maus momentos e eles merecem mais do que ninguém esse título brasileiro, afirmou o camisa 99.

Mesmo sendo um dos últimos a se integrar ao elenco do Fluminense, o atacante já conheceu a força do torcedor tricolor. Só que neste caso, a primeira impressão não foi das melhores. Ex-jogador do rival Flamengo, o Sheik viu uma campanha feito por alguns torcedores vetando sua contratação pelo clube.

Chateado, o jogador disse para um grupo de torcedores que o vaiou em uns de seus primeiros treinos que eles iriam se arrepender e ainda teriam que gritar muito seu nome. O "Sheik" reconhece que se precipitou em aceitar a provocação dos torcedores e agradece o carinho que tem recebido todos os dias na rua.

Eu fiquei muito triste na época, mas me arrependo de ter falado aquilo. Felizmente tudo deu certo, eles viram meu profissionalismo, me aceitaram e eu espero poder devolver tanto carinho com a vitória contra o Guarani. Se eu tenho alguém para dedicar esse título, caso ele realmente venha, é o torcedor do Fluminense. Ele nos apoiou nos bons momentos, mas principalmente quando nós mais precisamos, disse Emerson.

Ao ser perguntado se o título o consagraria com um ídolo do clube, ele em poucas mostrou a união e a amizade que simbolizam o time do Fluminense.

Eu acho que os 30 jogadores que fizeram parte de grupo e passaram a temporada toda trabalhando e se dedicando com seriedade poderão ser considerados ídolos do Fluminense, afirmou.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirofluminensefutebol

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG