Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Jogadores pedem fim do anti-semitismo no futebol inglês

Torcidas do país continuam usando termos racistas. Fãs exaltam até mesmo Hitler e câmaras de gás

Francisco De Laurentiis, iG São Paulo |

O racismo continua preocupando a Inglaterra. Mesmo com leis rígidas, o futebol do país testemunhou recentemente dois casos sérios: a banana atirada contra o brasileiro Neymar, durante amistoso da seleção brasileira em Londres, e os cânticos ofensivos da torcida do Tottenham contra o togolês Adebayor, do Real Madrid, em partida da Liga dos Campeões. Os jogadores negros, porém, não são os únicos afetados pela intolerância de alguns torcedores. Atletas judeus também sofrem com ofensas e canções sobre Adolf Hitler, o Holocausto e as câmaras de gás. Para acabar com isso, um grupo de jogadores (entre eles Frank Lampard, do Chelsea) participou de vídeo que pede o fim do anti-semitismo no futebol do país.

nullA ação faz parte da campanha "Let's Kick Racism Out of Football" ("Vamos chutar o racismo para fora do futebol), que ajudou a diminuir as ofensas contra atletas negros e também de origem árabe na Inglaterra. O principal pedido é para o fim do uso da palavra "Yid", termo pejorativo usado para se referir a judeus. Essa palavra era usada para caracterizar os indivíduos perseguidos pelo regime nazista na Alemanha, antes e durante a II Guerra Mundial (1939-1945). Além de Lampard, participaram da campanha o zagueiro Ledley King (do Tottenham), o também defensor Zeshan Rehnan (ex-Bradford City), o lateral Kieran Gibbs (Arsenal) e a atacante Rachel Yankey (Arsenal feminino), além do ex-atacante Gary Lineker, ídolo da seleção inglesa.

No vídeo, é possível ver adversários do Tottenham (clube que tem muitos torcedores judeus) que chegam ao estádio da equipe cantando a seguinte música: "Esses 'Yids' de White Hart Lane (estádio do clube londrino), os Spurs (apelido do time), estamos levando de volta para Auschwitz (campo de concentração). Sieg Hail! Hitler vai colocá-los novamente na câmara de gás". Os jogadores lembram que qualquer tipo de manifestação racista é crime inafiançável e pedem a conscientização dos torcedores para que não vejam os gritos de torcida como "brincadeiras": "Se você acha que os cânticos racistas são inofensivos, pense melhor", pedem os atletas.

Getty Images
Torcida do londrino Tottenham está sob supervisão da Uefa por recentes episódios de racismo
A Uefa (União das Federações Europeias de Futebol) já avisou que vai monitorar a torcida do Tottenham para coibir cânticos ofensivos e racistas, como os proferidos contra Adebayor. Nada, no entanto, será feito para proibir canções anti-semitas contra os fãs do clube branco de Londres. Vale lembrar também que, recentemente, o Zenit São Petersburgo (Rússia) foi multado depois que um torcedor ofereceu uma banana ao brasileiro Roberto Carlos - o criminoso foi inclusive banido do estádio da equipe.

Leia tudo sobre: Futebol MundialInglaterraChelseaRacismoTottenham

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG