Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Jogadores do Grêmio definem Renato Gaúcho como um pai

Treinador estabeleceu relação de confiança com atletas desde o ano passado

Hector Werlang, iG Porto Alegre |

AE
Renato Gaúcho abraça Douglas após gol contra Ypiranga
Idolatrar Renato Gaúcho não é tarefa exclusiva da torcida do Grêmio. Novatos ou experientes, os jogadores veem no treinador muito mais que um chefe. É como se fosse um pai.

Na semana de preparação para o Gre-Nal que decidirá o título do Gauchão, dois jogadores o definiram desta forma. Primeiro foi o lateral-esquerdo Gilson ao comentar a importância do treinador ao auxiliá-lo a administrar as críticas pelas atuações irregulares:

"O Renato é um pai, um companheiro. Nos incentiva muito e respeita os jogadores. Ele passa confiança para todos do grupo".

Depois, Adilson fez coro.

"É muito atencioso: quando você acha que ele não está prestando atenção, pode ter certeza que está. Ele é esta figuraça conosco como é com vocês (jornalistas). É um paizão. Se aproxima muito dos meninos", destacou o volante.

Foi a partir desta boa relação, instituída em agosto de 2010, que o Grêmio saiu do rebaixamento e classificou-se à Libertadores. Nesta temporada, a eliminação na Libertadores não afetou o bom ambiente. Mas claro que nem tudo é uma maravilha.

Renato instituiu a "caixinha" no vestiário, ou seja, uma lista de multas aos jogadores. Tem punição desde atraso a treino, excesso de peso e expulsão desnecessária. O treinador também concordou com a liberação de alguns jogadores com histórico de problemas em 2010: Leandro e Souza.

No domingo, o trabalho poderá render o primeiro título. Vitória, empate e até derrota (1 a 0 ou 2 a 1) garantem o estadual contra o Internacional.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG