Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Jogadores do Fluminense querem evitar vexame contra Boavista

Edinho, Digão e Rafael Moura sabem que surpresas são comuns no Carioca, mas querem espantar a zebra no sábado

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Apesar do calor insuportável que faz no Rio de Janeiro, os jogadores do Fluminense não tiveram moleza na volta ao batente nesta terça-feira. Sob o comando do preparador físico Ronaldo Torres e sem as presenças do técnico Muricy Ramalho, além de Belletti, Deco, Emerson e Leandro Euzébio, que seguem entregues ao departamento médico, os jogadores realizaram um trabalho físico na Praia do Leme. Sob os olhares atentos de curiosos e alguns torcedores, os semifinalistas da taça Guanabara suaram a camisa por cerca de uma hora. Tudo para não deixar que o Boavista surpreenda o Fluminense no sábado e conturbe a semana da contra o Nacional (URU), pela Libertadores, na próxima quarta-feira.

Ex-jogador do Boavista, Edinho reconhece o favoritismo do Fluminense, mas pede respeito ao adversário e sabe que uma derrota na primeira semifinal pode atrapalhar o planejamento de todo o primeiro semestre.

“Pela grandeza do Fluminense sabemos que somos o favorito, mas se não entrarmos focados e concentrados na partida vamos passar vergonha. Uma vitória dará mais tranquilidade para o jogo pela Libertadores e nos coloca na final. Seria muito bom começar a temporada com um título”, disse o volante.

Mas não é só Edinho que pede atenção redobrada ao adversário do próximo sábado. Autor do gol da vitória contra o Madureira, que garantiu ao Fluminense a primeira colocação do Grupo B, Rafael Moura lembra que já deixou de ser surpresa os pequenos aprontarem contra os grandes no Campeonato Carioca.

“Estamos trabalhando forte para não sermos surpreendidos pelo Boavista. Isso já virou rotina no Campeonato Carioca, mas não podemos deixar que aconteça com a gente”, alertou o autor dos últimos cinco gols do Fluminense.

Depois de voltar ao time em grande estilo após quase um ano parado, Digão faz coro às palavras de He-Man e prega respeito ao adversário.

“Não tem essa de jogo fácil, temos de respeitar todos os adversários. O Boavista não é bobo e não chegou à semifinal à toa. Temos de estar focados apenas na vitória. Não podemos entrar em campo pensando que podemos ser surpreendidos”, disse o zagueiro.

Apesar das vaias para a equipe nos últimos jogos, Edinho sabe que o torcedor tem tido um papel importantíssimo nas últimas temporadas do Fluminense e tem certeza que desta vez não será diferente. Acostumado a grandes decisões, Edinho deixa a pressão de lado e afirma que a equipe ainda vai evoluir.

“Todo início de temporada é complicado, ainda mais com a chegada de novos jogadores. Ainda estamos nos adaptando aos companheiros, mas estamos trabalhando duro e vamos crescer no momento certo. Pressão é normal na vida de todo jogador que defende um time grande e estamos acostumados. Tenho certeza que nossa torcida vai comparecer ao Engenhão e nos ajudar a chegar à final”, afirmou Edinho.
 

Leia tudo sobre: Campeonato Carioca 2011FluminenseEdinho

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG