Com a ausência do presidente, que está em Brasília, atletas experientes lideram tomada de decisões

Divulgação
Com a ausência de Perrella (esquerda), vice Gilvan de Pinho Tavares é o homem forte da diretoria em Belo Horizonte
Depois de rodar pelo interior e não conseguir bons resultados, a diretoria do Cruzeiro cansou de ouvir críticas dos jogadores e resolveu que eles é quem decidiriam onde o time mandaria seus jogos no Brasileirão. A situação deixou claro o "ambiente político" dentro do grupo, e a "democracia" tem seus líderes que exercem influência em outros jogadores. Principalmente agora que o presidente Zezé Perrella está morando em Brasília.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time

O meia Roger é conhecido como o "Senador" do grupo, até pela proximidade com o presidente Zezé Perrella. O jogador foi um dos maiores críticos às partidas realizadas em Uberlândia e Ipatinga. "Infelizmente BH não nos oferece um campo hoje, não é só culpa dos clubes, infelizmente o governo do Estado teve a inteligentíssima idéia de Independência e Mineirão serem derrubados na mesma época", disparou o experiente meia.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e convide os seus amigos

O goleiro Fábio é o capitão do time e sua liderança é nítida. O grupo só decidiu por mandar seus jogos em Sete Lagoas depois do retorno do goleiro da seleção brasileira. "Vamos esperar nosso capitão voltar. Não adianta nada falar alguma coisa agora sem ele aqui", afirmou o volante Fabrício na ocasião.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O presidente do clube, Zezé Perrella, vive em Brasília depois que assumiu o cargo de Senador com a morte do ex-presidente Itamar Franco. Perrella é esperado na Toca da Raposa II nessa sexta-feira para cobrar o elenco. Fábio apoiou a reunião. "O Zezé é presidente e quando ele determinar que precisa falar com o grupo é bem-vindo. Não precisamos ter presidente ou torcedor cobrando. Estamos em um time grande e temos que nos motivar só por isso", afirmou o capitão cruzeirense.

Ídolo da torcida, Fábio é um dos principais líderes da
Vipcomm
Ídolo da torcida, Fábio é um dos principais líderes da "democracia cruzeirense"
O argentino Montillo também é muito respeitado, até por ser o melhor jogador do time no momento complicado. Fabrício acha que o jogador tem o direito de escolher onde quer jogar. "Deixa ele (Montillo) fazer o que ele quiser. Onde ele quiser jogar, deixa o gringo fazer o que ele quiser. Temos que procurar fazer um esquema para deixar ele jogar, pois ele é o jogador que decide para gente", afirmou Fabrício.

O vice-presidente do clube, Gilvan de Pinho Tavares, é o homem forte da diretoria com a ausência de Perrella. "Ele (Perrella) me liga quatro, cinco vezes por dia. Mas é importante que os jogadores participem das decisões. Eles é que sofrem, que sabem o que passam. Quando ouvimos os atletas dizerem que é sacrificante viajar para jogar em casa, sair de BH para jogar em casa, eles sofrem pois ficam mais tempo distante de suas famílias, no seu retorno e no seu descanso. Isso evidentemente tem pesado nos resultados do clube. Os jogadores manifestaram esse interesse de jogar em Sete Lagoas. Por isso a diretoria resolveu ouvi-los. Foi democrático nesse sentido de atender à reivindicação dos atletas", aprovou o cartola.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.