Tamanho do texto

Classificação ocorre em momento histórico do clube, bicampeão estadual. Atletas e técnico estão confiantes

nullO ambiente no Coritiba era de grande emoção no vestiário do Couto Pereira. Após o apito do árbitro, jogadores, comissão técnica e torcida comemoraram a vaga inédita na final da Copa do Brasil, que veio após a vitória sobre o Ceará .

“É difícil explicar o que estamos sentindo. Agradeço a torcida, a família e o trabalho está coroado mais uma vez. Esse grupo vai fazer muita história esse ano”, disse, emocionado, o atacante Anderson Aquino , autor do gol que levou o Coritiba à final.

“O Coritiba tem 102 anos e nunca fomos a uma final como essa. A gente só tem a agradecer, corremos muito e só temos a agradecer a todos”, acrescentou Geraldo, se esquecendo da final do Brasileirão de 1985, quando o time paranaense foi campeão ao derrotar o Bangu.

Para o meia Rafinha, a equipe chega forte para a decisão diante do Vasco. “O pessoal que está trabalhando sabia que podíamos chegar nessa final importante como chegamos. A gente sabia da nossa força e não é à toa que chegamos aqui. Agora vamos focar na Copa do Brasil porque estamos perto da Libertadores”, avaliou Rafinha.

Os atletas também destacaram a aplicação da equipe na vitória sobre o Ceará. “Jogo apertado, é alma, aplicação. Jogamos do começo ao fim. O time procurou o gol e fomos coroados com essa vitória”, analisou o goleiro Edson Bastos.

Para o treinador Marcelo Oliveira, a equipe fez por merecer, principalmente pela dedicação ao longo da temporada. “Vamos seguir nesse caminho. Nosso time é guerreiro, se entrega totalmente nos jogos. Marcamos bem, o adversário valorizou o resultado e todos estão de parabéns”, declarou o técnico.