Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Jogadores do Botafogo dão a receita para vencer o Fluminense

Zagueiro Antônio Carlos pede atenção com bola aérea, enquanto Renato quer poucos erros na partida

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

Se preparando para o clássico do Botafogo contra o Fluminense , no próximo sábado, no Engenhão, às 18h, o zagueiro Antônio Carlos , que foi poupado na última partida da equipe, contra o Atlético-MG , dá a receita para segurar o ataque do time das Laranjeiras. Vigiar de perto o lateral-direito Mariano e a bola aérea do adversário é uma das preocupações do jogador.

Siga o iG Botafogo no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Dos 20 gols marcados pelo Fluminense neste Brasileirão, nove foram de cabeça. A equipe só perde para o Atlético-MG, que fez 10 gols em jogadas de bola aérea. Rafael Moura , com quatro, e Fred , com dois, são as referências do adversário dentro da área para os cruzamentos.

Entre para a Torcida Virtual do Botafogo e convide seus amigos

“O Conca era o cara que pensava o jogo deles, armava as jogadas, mas eles ainda tem grandes jogadores. Temos que tomar cuidado com o Rafael Moura e o Fred, que estão em grande fase. A bola aérea deles é muito perigosa. O Mariano também está num bom momento, é rápido e chega no fundo com facilidade”, disse Antônio Carlos.

Por isso, o possível retorno do atacante Loco Abreu, que se recupera de uma lesão no ligamento colateral do joelho direito e não entra em campo desde o último dia 13, é comemorado pelo zagueiro. Antônio Carlos acredita que o jogador uruguaio pode auxiliar na bola aérea tanto na defesa quanto no ataque.

“O Fluminense tem zagueiros e atacantes bem altos, na bola aérea defensiva e ofensiva ele é sempre muito útil. Não sei como os médicos vão avaliar ele, mas a gente torce para que todos estejam aptos para jogar. O grupo completo é muito forte e a gente fica feliz com retorno de todo mundo”, completou o zagueiro do Botafogo.

Já o volante Renato pede que o time entre com concentração máxima. Na opinião do jogador, a partida tem um envolvimento emocional muito grande e o time que cometer o menor número de erros sairá vitorioso. "São jogos diferenciados, se trata do mesmo time da cidade. Você tem que errar menos para vencer um clássico. É no detalhe, na bola parada, então tem que estar muito concentrado", declarou.

Leia tudo sobre: BotafogoBrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG