Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Jogadores afirmam que vitória devolveu a paz ao Fluminense

Ricardo Berna e Leandro Euzébio reconhecem momento conturbado e mostram alívio com resultado positivo

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Mais do que os três pontos, a vitória por 2 a 1 sobre o Resende, neste sábado, em Januário, na estreia na Taça Rio, trouxe paz e alívio aos jogadores do Fluminense. Após a eliminação na Taça Guanabara diante do Boavista, o empate com o Nacional, do Uruguai, e a derrota para o América, do México, ambos pela Libertadores, o clima nas Laranjeiras ficou tenso e os boatos de uma crise política tomou conta do noticiário do clube nas últimas duas semanas.

Capitão da equipe e autor do gol que deu ao Fluminense a vitória sobre o Resende, Leandro Euzébio resumiu em poucas palavras a sensação que tomou conta dos jogadores tricolores ainda no vestiário de São Januário.

“Sem dúvida essa vitória traz um alívio muito grande por tudo que está acontecendo”, afirmou o zagueiro do Fluminense.

Um dos principais responsáveis pela vitória deste sábado com mais uma atuação destacada, Ricardo Berna endossou as palavras do companheiro e reconheceu que mais um resultado negativo poderia deixar o ambiente nas Laranjeiras ainda mais tenso.

“Mais importante do que dar espetáculo é vencer. Essa vitória veio para devolver a paz. Nós viemos com a proposta de vencer o Resende e começar a Taça Rio com o pé direito. Esse time não está acostumado a perder duas ou mais partidas seguidas, e por isso sabíamos que uma vitória hoje era fundamental para nos dar tranquilidade”, explicou.

O goleiro disse ainda que o Campeonato Carioca jamais ficou em segundo plano nas Laranjeiras.

“Nunca priorizamos nenhuma competição na temporada. Entramos no Carioca com a mesma determinação que jogamos as partidas pela Libertadores. Infelizmente tivemos um tropeço na Taça Guanabara que não estava nos planos. Agora sabemos que para continuarmos com o título precisamos vencer a Taça Rio”, explicou Ricardo Berna, que espera um caminho ainda mais complicado do que na Taça Guanabara.

“Sabemos que a Taça Rio é mais difícil de ser conquistada porque teremos dois clássicos pela frente e todas as equipes já se conhecem”, completou o goleiro.
 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG