Tamanho do texto

Fato inusitado aconteceu no Tadjiquistão. Barba de Parviz Tursunov chega a cobrir parte do peito

O Khayr Vahdat, time de futebol da primeira divisão do Tadjiquistão, impediu que um de seus principais jogadores, Parviz Tursunov, de disputar a primeira partida da temporada por estar excessivamente barbudo.

 "Há problemas com o Ministério do Interior. Enquanto não for solucionado o problema criado por sua barba, sua presença repercute negativamente no futebol da equipe", afirmou nesta segunda-feira o treinador do Khayr, Tohir Muminov.

A barba de Tursunov é tão longa e espessa que cobre parte do peito, o que chamou a atenção das forças de segurança do país centro-asiático, que o pressionaram a fazê-la.

"Ele um dos jogadores mais completos da equipe, já que pode desempenhar qualquer função que lhe for pedido, seja na defesa ou no ataque", acrescentou Muminov.

Lance de jogo do Khayr Vahdat no Campeonato do Tadjiquistão. Atleta se recusou a fazer a barba
Divulgação
Lance de jogo do Khayr Vahdat no Campeonato do Tadjiquistão. Atleta se recusou a fazer a barba
O atleta já deixou claro que, caso tenha que escolher entre o futebol e a barba, não pensará duas vezes em optar pela segunda. "O futebol é algo mundano, e nós devemos pensar na eternidade. Manter a barba é um dos mandatos do profeta Maomé", disse Tursunov a imprensa local.

O Ministério do Interior informou que os jogadores têm o direito de manter a barba e que os funcionários da Polícia que pressionaram o atleta para que faça a sua "serão punidos". As autoridades tadjiques lançaram no final de 2010 uma campanha contra as barbas longas, alegando que os homens que as mantêm grande tentam, em muitos casos, encobrir o rosto para que não sejam identificados como integrantes de grupos islamitas.

O Tadjiquistão, que compartilha laços culturais com o Irã, é um dos países da Ásia Central com maior presença de organizações fundamentalistas islâmicas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.