Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Jogador do Guarani diz que não tem dinheiro para abastecer o carro

Time de Campinas não tem pagado os salários, e o goleiro Emerson deu detalhes sobre a crise

Gazeta |

Escolhido pelo elenco do Guarani para falar sobre as dificuldades financeiras enfrentadas por todos, que não recebem salários há três meses, o goleiro Emerson deu os detalhes mais tristes desta crise, inclusive que alguns atletas tiveram que vender o apartamento ou que, às vezes, falta dinheiro para abastecer o carro.

Emerson é um dos destaques na reação do Bugre no segundo turno do Campeonato Brasileiro da Série B. Da zona de rebaixamento, a equipe atingiu uma sequência de bons resultados e pulou para a 13ª colocação. Diante da proximidade do dérbi campineiro, marcado para este sábado, às 16h20 (de Brasília), no Brinco de Ouro, o jogador garante que o grupo está motivado.

"Algumas pessoas podem perguntar como é possível estar mais alegre com esta situação, mas vamos fazer o que? Temos que encontrar alegria, não é por isso que o mundo vai acabar, a vida segue e temos que procurar trazer alegrias. Acho que o jogo vai ser diferente em relação ao primeiro principalmente por jogarmos na nossa casa", disse o goleiro, em referência à derrota por 2 a 0 do Bugre em Moisés Lucarelli no primeiro turno.

O jogador diz ter certeza que uma hora ou outra os salários serão pagos, mas não deixa de revelar o drama vivido pelos companheiros: "A situação dos jogadores está bem precária, tem casos de jogadores que moravam em apartamentos e devolveram para morarem aqui nos alojamentos. É ruim, é triste, mas é a realidade. Tem gente que precisa do carro para vir trabalhar e está duro ficar colocando gasolina, outros que tem que ir embora e pagam pedágio, isso também fica difícil, mas estamos procurando minimizar o máximo para isto não afetar".

Apesar dos problemas, Emerson garante que o clima de união e solidariedade pode ser determinante para que o grupo supere o mau momento. "Vejo que se pudermos ajudar o próximo nós temos que ajudar, o que pudermos fazer vamos fazer. Nosso grupo tem que estar e está fechado, os jogadores estão fechados.Temos conversado e quem precisa de alguma coisa, dentro do que pudermos fazer, nós ajudamos, financeiramente inclusive. O que pudermos fazer para ajudar o outro nós vamos fazer", disse, antes de revelar o mais absurdo da situação dramática. "Tem jogadores que têm crianças em situações extremamente complicadas e já disseram que se a diretoria pagar apenas um mês de salário não vai resolver nada. Vejam em que nível está", lamentou.

Leia tudo sobre: série b 2011guarani

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG