Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Joel Santana revela mágoa por novo ato de indisciplina de Jobson

Atacante faltou ao treinamento da última sexta-feira, foi multado e afastado pela diretoria. Técnico também não confirmou a escalação de Jobson contra o Internacional

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860373004&_c_=MiGComponente_C

Preparando-se para enfrentar o Internacional, no próximo domingo, no estádio Engenhão, o técnico Joel Santana, do Botafogo, falou sobre o novo problema envolvendo o atacante Jobson. O jogador faltou ao treinamento da última sexta-feira, sem comunicar ao clube, sendo afastado pela diretoria da equipe carioca.

Triste com o novo ato de indisciplina, Joel não confirmou a escalação de Jobson contra o time gaúcho e revelou que o jogador não está mais entre seus 'filhos', como costuma apelidar os jogadores mais jovens.

"Até segunda ordem ele está separado dos meus 'filhos'. Depois vou ver se adoto ele de novo ou não. O caminho que eu quero para ele é o mesmo que eu quero para o meu filho. Não pensem que eu não torço para ele, que eu não torço para a família dele, que eu não torço para o sucesso dele. Ele não pode jogar por água a baixo o grande futebol que ele tem. É um garoto maravilhoso, mas tem que saber o caminho que ele vai tomar", disse Joel Santana.

Segundo o treinador, o jogador já foi orientado diversas vezes, mas nada adiantará se ele não quiser mudar o comportamento. "Conversar o que? Mais? A gente não dá conselho, passa experiência, tenta ajudar. Ele já teve um choque de realidade, declarou o técnico do Botafogo.

Segundo Joel Santana, o caso de Jobson será analisado diariamente para que seja tomada uma decisão sobre sua escalação na reta final do Botafogo. Além disso, treinando apenas a parte física no CT de General Severiano, longe do grupo, Jobson pode ter a parte técnica e tática prejudicada, acredita Joel.

"Ele está treinando a parte e vamos ver a decisão que vai ser tomada. Cada dia é um dia. Ele está trabalhando a parte física. É ruim pela parte tática, técnica, que ele não está trabalhando. Mas aqui no Botafogo nós temos nossa forma de ser. Não somos de ficar falando muito, fazendo estardalhaço. Disciplina é disciplina e lei é lei. Temos um compromisso moral com nosso torcedor e com nos mesmo. As coisas não são feitas a toa, algum motivo teve", declarou o treinador do Botafogo.

Leia tudo sobre: botafogocampeonato brasileiro

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG