Ex-presidente da Fifa não gostou de ter que devolver passaporte diplomático. Medida ocorreu por mudança de regras no Itamaraty

O ex-presidente da Fifa, João Havelange, revelou ter uma mágoa com a presidenta da República, Dilma Rousseff , em entrevista à revista Poder. O dirigente esportivo, de 95 anos, não gostou de ter que devolver o passaporte diplomático que tinha desde o governo João Figueiredo. Havelange também criticou a Globo por ter veiculado uma denúncia contra o seu ex-genro e presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira.

“A única gentileza que tive do meu governo foi com João Figueiredo. Para facilitar minha movimentação, ele me concedeu passaporte diplomático. Agora, no governo Dilma, mandaram devolver. O senhor acha que fiquei satisfeito, que merecia isso? É isso que me dói, é este o meu país”, afirmou Havelange.

A assessoria de imprensa do Itamaraty informou que todos os passaportes diplomáticos tiveram que ser devolvidos no início deste ano, após ser revelado que familiares do ex-presidente Lula tiveram seus documentos renovados por quatro anos no final de 2010. A medida fez parte das novas regras para a concessão de passaportes diplomáticos . Os novos pedidos serão divulgados no Diário Oficial e os requerentes deverão justificar o porquê da solicitação.

Apesar da reclamação por ter perdido o passaporte diplomático, Havelange elogiou o governo de Dilma Rousseff. “Não votei nela. Está me surpreendendo. Pela cultura, pelos conhecimentos, pela determinação e pela presença. Eu diria que pediria a Deus que ela fizesse um segundo mandato: porque ela está modificando. O país precisa ser administrado”, explicou.

Na entrevista, o cartola contestou a veiculação de uma denúncia contra o presidente da CBF , Ricardo Teixeira, na Globo. No dia 13 de agosto, o Jornal Nacional noticiou que a Polícia Civil do Distrito Federal investiga supostas irregularidades no amistoso entre Brasil e Portugal , realizado na cidade de Gama, na região metropolitana de Brasília, em 2008. “Enquanto interessou à Globo, o Ricardo era um gênio. No dia que ele quis tomar uma medida que poderia ferir a emissora, ela se volta contra ele. Agora, para a emissora, ele tem todos os defeitos, não presta. O senhor me perdoa, vamos deixar isso de lado”, afirmou Havelange ao repórter da revista.

Parceira comercial da CBF, a Globo tem os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro e dos jogos da seleção brasileira. "Por que isso? (a veiculação da notícia de que Teixeira está sendo investigado) O senhor sabe: porque mudou o horário de jogo (afetando a grade do Jornal Nacional e da novela das 9). Isso não é modo de fazer uma administração nem de analisar outra administração. O Ricardo só não serve na hora que não faz suas vontades? E as qualidades de antes? Joga pela janela. É uma tristeza”, disse o ex-presidente da Fifa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.