Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

João Gomes assume vaga olímpica nos 100 metros peito

Com o tempo de 1min00s40, nadador brasileiro faturou o ouro no RJ e tomou a vaga de Felipe Lima em Londres

AE |

selo

A equipe brasileira de natação que vai aos Jogos Olímpicos de Londres tem um novo integrante, pelo menos momentaneamente. É que neste sábado o nadador João Gomes venceu os 100 metros peito do Torneio Open de Natação, no Rio, com o tempo de 1min00s40, e assumiu a segunda vaga brasileira nesta que é a prova mais equilibrada da natação do País. Ao final da prova, Gomes chorou e dedicou a vitória à avó, falecida há uma semana.

Na sexta-feira, também no Parque Aquático Maria Lenk, Henrique Barbosa venceu o Campeonato Brasileiro Sênior com o tempo de 1min00s70 e se tornou o quarto brasileiro a nadar abaixo do índice exigido pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) para os 100 metros peito. Os Jogos Olímpicos, porém, só permitem a inscrição de dois atletas de cada país por prova.

No momento, a primeira vaga é de Felipe França, do Pinheiros, com o tempo de 1min00s01. João Gomes, do mesmo clube, assumiu a segunda vaga, ultrapassando Felipe Lima, do Minas, que tem 1min00s46. Henrique Barbosa, do Flamengo, é o quarto da lista.

Eles têm mais duas competições para definir os representantes do Brasil em Londres: o Campeonato Sul-Americano de Belém do Pará, em março do ano que vem, e o Troféu Maria Lenk, em abril. O último torneio seletivo, o Tentativa Olímpica, que acontecerá em maio, valerá só para as provas em que não houverem dois brasileiros classificados até lá, o que não é o caso dos 100 metros peito.

A disputa, porém, está cercada de polêmica. Felipe França se tornou o primeiro nadador brasileiro a nadar a prova na casa dos segundos desde a proibição dos maiôs tecnológicos, ao bater a final do Brasileiro Sênior, sexta, com o tempo de 59s87. Ele, porém, foi desclassificado por ter dado uma golfinhada proibida antes da batida dos 50 metros. Felipe Lima, outro concorrente à vaga olímpica, teria feito o quarto melhor tempo da competição, mas também foi eliminado por uma pernada proibida, depois da virada. Assim, os dois perderam a chance de nadar no Torneio Open, restrito aos oito melhores do Brasileiro.

Outros resultados

Neste sábado, penúltimo dia de disputas do Open, foram disputadas mais sete provas. Mesmo relaxada depois de conquistar o índice olímpico na sexta, Joanna Maranhão venceu os 400 metros medley feminino com o tempo de 4min43s56, mais de 18 segundos à frente da segunda colocada, Bruna Primati, do Paineiras, de apenas 14 anos.

Depois de vencer o Brasileiro, Thiago Pereira desistiu de nadar os 400m medley no Open e abriu caminho para a vitória de Thiago Teixeira, da Unisanta, com 4min24s02, quase cinco segundos acima do índice olímpico. Nos 200m livre, venceram Manuella Lyrio, no feminino, e Nicolas Oliveira, no masculino. Nos 100m peito feminino a vitória foi de Ana Carla Carvalho. Já os 50m borboleta, prova não olímpica, tiveram Daniele Paoli e Nicholas Santos no lugar mais alto dos pódios.

Um dos destaques do Open neste sábado foi a participação de Ana Marcela Cunha. Campeã mundial da maratona aquática, a atleta da Unisanta mostrou que se destaca também nas curtas distâncias. Ela foi terceira colocada nos 200 metros livre, com o tempo de 2min04s49. O índice olímpico da prova, porém, está longe: 1min58s20.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG