Depois de perder espaço no time por conta de subidas ao ataque, zagueiro preferiu atuação conservadora

Com Edson Silva no departamento médico, Luiz Eduardo na Seleção Sub-20 e Paulo Miranda contundido logo aos 14 minutos de jogo, Emerson Leão foi obrigado a promover o retorno de João Filipe contra o Mogi Mirim. O camisa 21, que estava encostado havia 13 jogos, fez o simples para convencer o chefe a aproveitá-lo mais vezes.

Deixe sua mensagem e comente a notícia com outros torcedores

AE
João Filipe conversa com Leão no jogo com o Bahia, que selou sua perda de espaço no time
"Eu trabalhei forte nos treinamentos e surgiu a oportunidade. Tentei fazer o mais simples possível e felizmente conseguimos o resultado", explicou o defensor, que precisou da ajuda de Rhodolfo para não deixar o longo período de inatividade atrapalhar. "Fizemos várias partidas juntos no ano passado. Eu estava sem ritmo de jogo, porque fazia tempo que não jogava, mas o Rhodolfo e toda a equipe me ajudaram muito".

Com a grande lista de desfalques no setor defensivo, é provável que João Filipe seja titular pelo menos contra o Bahia de Feira, quarta, pela Copa do Brasil. É a oportunidade de recuperar o prestígio com a torcida e com o treinador.

Contratado do Botafogo em agosto de 2011, o zagueiro foi do céu ao inferno em poucos meses. Com Adilson Batista no comando, teve uma série de atuações satisfatórias no Brasileirão e conseguiu convencer a diretoria a transformar um acordo por empréstimo até dezembro em um vínculo definitivo válido por cinco anos. Emerson Leão chegou e o manteve no time até o fim da temporada, mas nunca escondeu a insatisfação com as constantes arrancadas ao ataque.

Leia mais:  Lesionados, Fabrício e Paulo Miranda devem desfalcar o São Paulo

João Filipe foi considerado um dos vilões da vexatória derrota de virada para o Bahia, jogo que acabou se tornando decisivo para que o clube do Morumbi não conseguisse uma vaga na Libertadores-2012. Ele pediu para sair dizendo que estava cansado, foi orientado a ficar preso na defesa para suportar mais tempo e pouco depois gastou toda a energia que tinha ao subir em velocidade para o setor ofensivo.

Com as chegadas de Edson Silva e Paulo Miranda, o beque perdeu espaço e só teve chances de jogar improvisado na lateral direita, quando Piris se lesionou, mas foi expulso de forma infantil na derrota por 1 a 0 para o Corinthians (a única do time no ano), no dia 12 de fevereiro, e só voltou a ser escalado neste sábado, 7 de abril.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.