Dirigente, que era investigado por denúncias de corrupção, também abdicou do comando da Concacaf

O trinitino Jack Warner renunciou nesta segunda-feira ao cargo de vice-presidente da Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados) e teve a investigação de corrupção realizada pela entidade encerrada. Warner e Mohamed Bin Hammam, presidente da Confederação Asiática de Futebol, foram suspensos no último mês , depois que foram acusados de oferecerem propinas de US$ 40 mil (R$ 64 mil) para eleitores caribenhos durante a campanha presidencial do catariano.

Warner passou 28 anos no Comitê Executivo da Fifa. A entidade, porém, vinha ouvindo vários membros da Concacaf (Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe), que era presidida por ele, sobre as acusações de corrupção.

"Jack Warner informou à Fifa sobre a sua renuncia aos seus cargos no futebol internacional", disse a Fifa, em um comunicado. "A Fifa lamenta os eventos que levaram à decisão de Warner. Sua renúncia foi aceita pelo órgão gestor do futebol mundial. Warner está deixando a Fifa por sua própria vontade, após quase 30 anos de serviço".

Warner foi aliado por longo período de Joseph Blatter, que foi reeleito para a presidência da Fifa após Bin Hammam retirar sua candidatura por conta das acusações de corrupção . "Como consequência da renúncia de Warner, todos os processos do Comitê de Ética contra ele foram encerrados e a presunção de inocência está mantida", acrescentou a Fifa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.