Atual campeã mundial foi derrotada no final do jogo, com gol de Aquilani, após desvio de Albiol

Aquilani anotou o gol do triunfo italiano aos 39min do segundo tempo
Reuters
Aquilani anotou o gol do triunfo italiano aos 39min do segundo tempo
A tarde desta quarta-feira teve o encontro entre as duas últimas seleções campeãs do mundo, que se enfrentaram na "Terra da Bota" em amistoso de data FIFA. O resultado foi 2 a 1 para a Itália, com gols de Montolivo e Aquilani. Llorente diminuiu para os espanhóis.

Antes da partida, como havia sido programado pela Federação Italiana, houve uma homenagem às vítimas dos desastres nucleares de Fukushima e Belarus, proposta da prefeitura de Bari, que recebeu habitantes das duas cidades no Estádio San Nicola.

Com bola rolando, houve um jogo muito aberto, com dois personagens de destaque: Cassano, pelo lado italiano, e Iniesta, do espanhol. Na segunda etapa, quando os dois deixaram o campo, foi a vez de Thiago Alcântara e Balotelli, as esperanças dos dois lados, que pouco fizeram.

O Jogo
Desde o apito inicial a seleção italiana mostrou que não estava para brincadeira. Com menos de um minuto de bola rolando, Cassano e Montolivo fizeram uma excelente tabela no meio-de-campo e o time chegou bem perto de abrir o placar. Criscito acertou o travessão de Casillas.

Enquanto a Itália seguia pressionando, se aproveitando das bolas perdidas pelos espanhóis no meio-de-campo, a seleção adversária buscava trocar passes para diminuir o ímpeto italiano, em vão.

Cassano se mostrou o grande personagem da seleção na partida, sempre puxando contra-ataques rápidos e assustando os defensores, que rebatiam para qualquer lugar.

Aos 11 minutos, não teve jeito. A troca de passes italiana finalmente deu certo e depois de passe de Criscito, Montolivo aproveitou a chance e bateu por cima do goleiro. A bola bateu no travessão e entrou, para abrir o placar.

Três minutos depois, Fernando Torres saiu contundido para a entrada de Llorente, que deu o ânimo necessário para a Espanha reagir. Ao lado de Iniesta, Llorente partiu para cima.

Nesse momento apareceu Buffon, que não deixou passar nada. Aos 18 minutos, em batida de David Silva, o experiente goleiro italiano espalmou para a linha de fundo, conseguindo manter o resultado.

Mesmo sem tanta efetividade, a Espanha conseguiu concatenar jogadas perigosas, tanto que alcançou o empate aos 35 do primeiro tempo. Em pênalti cometido sobre Llorente, o próprio atacante não titubeou e estufou as redes italianas, igualando o placar. A Itália respondeu rápido, com tentativa de Cassano, mas ficou por aí, sem grandes sustos.

Já o segundo tempo foi de muita emoção para ambos, porque a partida não se concentrava em apenas um lado do campo. A Itália atacava e a Espanha rebatia quase no mesmo minuto.

A novidade do técnico Vicente Del Bosque, então, foi a entrada do ítalo-brasileiro naturalizado espanhol Thiago Alcântara, que não atuou tão bem quanto era esperado e fez a Espanha diminuir seu ritmo ofensivo.

Aos 15 minutos, a seleção espanhola se aproveitou de uma distração italiana para dar trabalho a Buffon. Após belo passe de David Silva, Llorente bateu e o goleiro fez uma defesa espetacular.

Dez minutos depois, mais uma vez, a Itália viu porque não pode abrir mão do goleiro campeão mundial em 2006. Xabi Alonso aproveitou o rebote da falta batida por Villa e obrigou o arqueiro a se esticar para evitar a virada.

Os últimos minutos de partida foram alucinantes. Pirlo, em cobrança de falta, para a defesa de Valdés, Villa, na entrada da área, mas sem força, David Silva, de dentro da pequena área, com chute forte, para nova defesa de Buffon.

Aos 39, a Itália, mesmo jogando pior na segunda etapa, conseguiu fazer o gol que garantiu sua vitória no amistoso. Aquilani resolveu testar Valdés e bateu de longe, para o desvio de Albiol, que acabou enganando o goleiro. A Itália voltou a ficar na frente e dessa vez sem possibilidade de reação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.