Tamanho do texto

Associação de Futebol do país foi criticada por membros da Fifa e de outras Federações internacionais

Depois de fracassar na tentativa de adiar a realização da eleição da Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados), a Inglaterra tentará deixar as polêmicas na entidade de lado para se concentrar na sua posição no futebol europeu. A FA (Associação de Futebol da Inglaterra) trabalhará para não ficar ainda mais isolada após Joseph Blatter ser coroado para um quarto mandato na presidência da entidade , ao receber 186 dos 203 votos.

"Nós poderíamos ter feito novos amigos, mas empurramos os outros para longe", disse Alex Horne, secretário-geral da FA. "Temos uma postura forte, que irá agradar algumas pessoas e vamos descobrir quem são nas próximas semanas. Nossa tática agora é certificar de que nós não danificamos as nossas relações na Europa".

A insatisfação dos outros países com a Inglaterra foi mostrada durante o Congresso da Fifa. Presidente da RFEF (Real Federação Espanhola de Futebol), Angel Villar Llona, que também é vice-presidente da Fifa e da Uefa (União das Federações Europeias de Futebol), queixou-se na quarta-feira sobre os ataques à Fifa pelo parlamento britânico e pela imprensa.

Já Julio Grondona, presidente da AFA (Associação de Futebol Argentino) e também vice-presidente da Fifa, disse que a Inglaterra deveria para de "dizer mentiras" . "Fiquei surpreso com o quão longe Grondona e Villar Llona foram ao falar sobre políticos e jornalistas dizendo mentiras, parece um pouco acima do nível", afirmou Horne. "Villar Llona foi, provavelmente mais preocupante do que Grondona, na verdade, por subir ao palco e falar assim".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.