Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Invicto com Ronaldo, Corinthians resgata bom futebol

Com atacante à disposição, Corinthians não perdeu e viu o time melhorar seu rendimento na reta final

Bruno Winckler, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861575661&_c_=MiGComponente_C

A transição de um Corinthians que não vencia para o time que hoje briga com Fluminense e Cruzeiro pelo título brasileiro teve na presença de Ronaldo em campo o principal símbolo da retomada de confiança. Ninguém no clube pensa duas vezes antes de responder à pergunta sobre o motivo que fez o Corinthians mudar seu rumo nesta reta final de campeonato. É impressionante como ele nos ajuda só por estar em campo. Ele abre espaços atraindo a marcação para ele. O time todo ganha com ele bem, disse Elias, autor do primeiro gol do Corinthians no clássico contra o São Paulo.

A constatação de um dos melhores amigos do "Fenômeno" no elenco corintiano faz todo sentido. Depois que o camisa 9 retornou ao time, na partida contra o Guarani, dia 17 de outubro, o Corinthians não perdeu mais e somou 11 pontos em 15 possíveis. Antes do seu retorno, o Corinthians vinha de uma série de seis partidas (18 pontos disputados) com apenas dois empates conquistados. Ronaldo, inclusive, com seus oito jogos realizados no Brasileiro, é o único jogador do Corinthians que ainda não saiu derrotado de nenhum jogo do campeonato. Foram cinco vitórias e três empates.

Inclusive, com Ronaldo em campo os números do Corinthians em 2010 são mais satisfatórios do que sem ele. Neste ano, o Corinthians faturou 73% dos pontos que disputou em 24 jogos com o Fenômeno atuando. Foram 16 vitórias, cinco empates e três derrotas (estas pelo Paulistão e pela Libertadores). Sem Ronaldo, nas 42 partidas que disputou, o Corinthians teve 55% de aproveitamento, com 20 vitórias, 10 empates e 12 derrotas.

O técnico Tite festeja ter assumido o Corinthians no período em que Ronaldo regressou ao time. Seu antecessor, Adilson Batista, só pôde contar com Ronaldo em duas partidas das 17 em que dirigiu o time. Já Tite teve o Fenômeno nas quatro partidas em que comandou o Corinthians.

Antes de tudo, sou um sujeito de sorte por ter chegado ao clube exatamente no momento em que o Ronaldo estava retornando. Ganho um jogador excepcional, na verdadeira acepção da palavra, e o time todo sente a diferença, disse Tite.

O treinador disse ainda que, no seu curto período no clube, já percebeu como Ronaldo readaptou seu futebol à sua nova condição física, que não permite tantas arrancadas e jogadas de explosão, frequentes no seu início de carreira. O Ronaldo é inteligente, percebeu que não adiantaria tentar jogar como antes. Como pivô, municiando seus companheiros, criando espaços, ele tem sido muito útil. A gente espera que continue assim nesses últimos quatro jogos, disse o treinador.

O retorno de Ronaldo ao time coincidiu com o esvaziamento do departamento médico corintiano. Para a partida de sábado contra o Cruzeiro, por exemplo, todos os jogadores estão disponíveis, até mesmo Jorge Henrique, recuperado de forma surpreendente da lesão na coxa esquerda que sofreu há um mês e meio.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirocorinthiansronaldo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG