Corintianos defendem um tabu de cinco anos e são-paulinos os 100% neste Brasileiro

Corinthians e São Paulo não precisam de motivos extras para buscar uma grande vitória neste domingo, no clássico marcado para as 16h no Pacaembu. Mas além da rivalidade, cada vai mais viva entre as duas equipes, ambas tem algumas marcas para defender neste confronto válido pelo Campeonato Brasileiro .

Invictos, o líder São Paulo e o terceiro colocado, Corinthians (com um jogo a menos), primeiro tentam manter-se assim neste início de torneio. O São Paulo está 100%, com 15 pontos, e o Corinthians venceu três dos seus quatro jogos (empatou uma vez).

Jorge Henrique formará o trio ofensivo corintiano ao lado de Liedson e Willian
AE
Jorge Henrique formará o trio ofensivo corintiano ao lado de Liedson e Willian

Siga as páginas dos rivais de domingo no Twitter no iG Corinthians e no iG São Paulo

Para manter-se com aproveitamento intacto no campeonato, o Sâo Paulo precisará quebrar um tabu de quase cinco anos defendido pelo Corinthians. Desde outubro de 2006 o time do Parque São Jorge não sabe o que é perder para um rival no estádio que considera sua casa . O São Paulo saiu derrotado nas últimas quatro partidas como visitante do Corinthians no Pacaembu. Além disso, o Corinthians não perde há 12 jogos seguidos do Campeonato Brasileiro, somadas as últimas oito rodadas do torneio de 2010. São duas longas invencibilidades em jogo.

Entre para a torcida virtual do seu time e o ajude a assumir o primeiro lugar no ranking

Para Tite , as estatísticas são importantes para os torcedores, mas não fazem diferença em um confronto tão equilibrado como se projeta ser o deste domingo. O Pacaembu é casa corintiana, mas para Tite, torcida não ganha jogo.

“Números servem contra e a favor, mas dado estatístico eu não levo em consideração. Jornalisticamente e para o torcedor é importante. Para nós é melhor jogar perto da nossa torcida, mas o torcedor não faz o Julio jogar bem, não faz o Liedson correr. Nós temos nossa parte, ele (torcedor) vai contribuir, mas nós temos de fazer nossa parte”, disse Tite, que não faz prognósticos para a partida.

“Vai ser um grande jogo e cada jogo tem um caráter decisivo. O São Paulo tem uma grande pontuação e tomou um gol só, vejo um equilíbrio bastante grande no momento das duas equipes”, disse Tite, que só lamenta o fato de ter ficado duas semanas sem jogos por conta do adiamento do último jogo, contra o Santos.

O Corinthians não tem surpresas na sua escalação e a única diferença para a equipe que venceu o Fluminense, há duas semanas, será a volta de Chicão, que cumpriu suspensão. Wallace volta para o banco.

No São Paulo, a boa fase é comemorada pelo técnico Paulo César Carpegiani , que avalia ser este um momento ideal para se encarar um clássico. A pressão é menor.

Rogério Ceni pode marcar contra o Corinthians 100 gols em jogos oficiais
Vipcomm
Rogério Ceni pode marcar contra o Corinthians 100 gols em jogos oficiais

“Futebol vive de momentos e quando tem um bom momento te alivia. É muito bom trabalhar em cima de vitória. Alguns times estão lá embaixo e tem obrigação de ganhar, jogando pressionados. E muitas vezes não sai. O Santos vai jogar com futebol solto, sem obrigação. O atleta vive disso. Eu acho que não é por isso que vamos deixar de nos impor. Nós sabemos da obrigação de ganhar. É meio a meio. Por isso que acho que vai ser grande jogo. Jogo de gols”, comentou.

O São Paulo não terá Lucas, cedido para a seleção brasileira que disputa a Copa América. No seu lugar deve entrar Ilsinho. Na zaga, Rhodolfo também é dúvida, e se ele não atuar, jogará Bruno Uvini. Luiz Eduardo será improvisado na lateral-esquerda no lugar de Juan, suspenso. Casemiro, com amigdalite, pode ser outro desfalque . Para seu lugar, Carpegiani deve escalar Rodrigo Caio.

FICHA TÉCNICA – CORINTHIANS x SÃO PAULO
Local:
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 26 de junho de 2011, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Braghetto (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Vicente Romano Neto (ambos de SP)

CORINTHIANS: Júlio César; Welder, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo; Jorge Henrique, Willian e Liedson. Técnico: Tite

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Jean, Xandão, Bruno Uvini e Luiz Eduardo; Wellington, Casemiro (Rodrigo Caio), Carlinhos Paraíba e Ilsinho; Marlos e Dagoberto. Técnico: Paulo César Carpegiani

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.