Ivan Savvidis ficou indignado com decisão do árbitro, que anulou um gol já válido depois de mais de seis minutos de conversa com os auxiliares

Ivan Savvidis, presidente do PAOK, entrou no gramado com uma suposta arma
Reprodução
Ivan Savvidis, presidente do PAOK, entrou no gramado com uma suposta arma


Uma confusão tomou conta da partida entre o PAOK e o AEK Atenas pela 25ª rodada da Liga Grega. Tudo começou quando Fernando Varela marcou o primeiro gol para o o time da casa, no Estádio Toumba. No entanto, depois de alguns minutos de conversa com os auxiliares, o juiz Georgios Kominis anulou a marcação já validada, fato que motivou a invasão de torcedores e do presidente da equipe.

Leia também: Jogadores do futebol italiano são agredidos na porta de casa

De acordo com informações do jornal As , Ivan Savvidis, presidente do PAOK, entrou dentro de campo e tentou retirar os jogadores da equipe do gramado, como forma de protesto. Segundo o periódico, o homem de 58 anos de idade estava armado, foi até o árbitro e o ameaçou: "Vou te matar".

“No começo, não sabíamos que ele tinha uma arma, e então a vimos”, disse o técnico do AEK , Manolo Jiménez, à rádio Cadena Ser . “Dava para ver ele mexendo a mão na direção da cintura porque ele tinha uma arma. Ele ameaçou o árbitro na minha frente. Estou chocado. Não entendo".

Leia também: Sergio Ramos deixa gramado por 5 minutos e Zidane explica: "Foi ao banheiro"

Em imagens divulgadas nas redes sociais, é possível perceber que o dirigente porta um objeto, mas além de uma pistola, uma outra possibilidade seria a de um taser, arma de choques usada na imobilização de criminosos. Com medo, os jogadores visitantes e o juiz foram para o vestiário e por conta de segurança, a partida não teve o apito final. Duas horas depois, o árbitro voltou atrás novamente e concedeu a vitória ao time da casa por 1 a 0.

"O que vimos é um ataque à honra do futebol grego, eles feriram o clube e os torcedores da equipe. Alguém que entra no campo com uma arma em suas mãos é uma provocação inadmissível, independentemente do que aconteceu", disse Panos Skurletis, ministro grego, à agência Amna.

Leia também: Jogador celebra gol homenageando colega preso e causa muita polêmica

Mandato de prisão

Ainda segundo o As , após o incidente, a Justiça grega emitiu um mandato de prisão para Ivan Savvidis. A ordem envolve ainda outras pessoas e o vice-ministro da Cultura e Esporte da Grécia , que alegou que o governo não irá permitir que este tipo de situação perturbe o futebol do país. Segundo Yorgos Vassiliadis, há ainda a possibilidade de uma decisão em conjunto com a Uefa.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.